quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Vale a pena pensar nisto


Às vezes vejo coisas que me arrepiam, pelos piores motivos, infelizmente. Uma delas é a maneira como algumas crianças falam com os pais. Assustador, no mínimo!



Também tenho um filho, eu sei. Sei também que, por vezes, apesar de todos os valores que lhes incutimos na infância, muitas vezes eles perdem-se  pelo  caminho. Espero, sinceramente, e acredito, que isso não vai acontecer, que ele é capaz de assimilar e entender valores como o respeito. Se uma criança não tem o mínimo respeito pelos pais, vai ter por quem? Se não aprende isso na infância, vai aprender quando? Sou muito amiga dele, dou-lhe mimos e mais mimos, mas não esqueço que não sou uma coleguinha da escola. Sou a sua mãe e, além de o amar, tenho a responsabilidade de o educar.

36 comentários:

Mário Rodrigues disse...

Pois é Nirvana. Há pais que têm muito a aprender para ensinarem... E eles terão aprendido?

Beijos Nirvana

Sonhadora disse...

Disseste tudo, é isso mesmo! Também me assusto quando vejo os miudos a falar com os pais, acho que os pais é que mereciam apanhar para que lhe dêm educação e não admitirem que lhes faltem ao respeito!
Beijocas

Cris disse...

O pior que esses que não recebem a educação devida não teram condições que educar os que virão. Que pena! Que triste!

Deia disse...

Como isso é verdade!! Sou professora e às vezes ouço os alunos a dizerem cada coisa aos pais, que até me envegonho da nossa sociedade!!

bj

Otto Pluma disse...

Como podemos esperar o melhor quando damos o pior exemplo?

*C*inderela disse...

Concordo,os miúdos fazem/dizem o que vêem em casa.às vezes como podemos exigir educação aos miúdos se os pais deles não sabem o que é isso. CLaro que há outros que recebem educação em casa mas com as companhias vão por maus caminhos ... o que eu sei é que isto vai de mal a pior.

Bjokas***

Bloguótico disse...

Verdade! Há que ter cuidados com os exemplos que se dá!!

Gemini disse...

SÊ a mudança que queres para o Mundo!

Beijinho ;)

maria teresa disse...

A educação das crianças, está mais difícil nos dias actuais, por várias razões, que dariam para se estar horas a falar nesse assunto.
Como base, saber dizer-lhes NÃO, RESPEITÁ-LAS e EXIGIR RESPEITO, AMÁ-LAS e MOSTRAREM ESSE AMOR (muitas vezes sem sins mas com nãos)...
Abracinho

uminuto disse...

tenho uma filha e quero educá-la exactamente assim. Por isso a par do amor que lhe dou e que é o máximo que encontro em mim também sei que, por vezes tenho de lhe dizer não...só assim ela crescerá em responsabilidade e aprendendo a respeitar os outros. Estes são valores de que não abdico
um beijo

Soraia Silva disse...

infelizmente há muitos pais que se estao a marimbar para os filhos...
nao exigem nada deles e para nem se chatearem, deixam os filhos fazerem o que querem...
a uma certa altura, os filhos nao vêm as maes como maes, nem como colegas mas sim como uma outra pessoa qualquer...

é verdade que nao estamos livres de termos um filho que siga outras pegadas, mas enquanto se pode e se tem força, principalmente quando se gosta e se quer, tentamos ensinar-lhes os melhores valores e a ajuda-los a caminhar no sitio certo.

beijinho

Girl in the Clouds disse...

Mas, ainda bem que pensas assim, hoje em dia muitos pais não dão educação aos filhos. kiss

rouxinol de Bernardim disse...

Ensinar e aprender exige uma interacção dialética e uma constante reciclagem...

Libelinha☆ disse...

É um ciclo vicioso!... Quem aprende assim vai ensinar assim!...

Beijinhos ;P

by " A Invisível " disse...

Querida Nirvana;
Confesso que fiquei "arrepiada" com este vídeo.
É verdade, nós (pais) somos o espelho para os nossos filhos.
Faço tudo por tudo, para isso não vir a acontecer.
Beijinho grande* querida Nirvana*
Bom fim-de-semana*

Checa disse...

Tal como tu, tento ter uma relação de amizade com as minhas filhas, não escondo os problemas, as alegrias, enfim, falamos sobre tudo.Não sei se é por aí, mas a verdade é que nunca, mas nunca tive esse tipo de problema.Acho deprimente essas situações, e não sei deva ter mais pena dos pais ou dos filhos...

beijinhos

Neisseria Gonorrhoeae disse...

Neste mundo. Cada vez sobra menos tempo aos pais para ensinarem os filhos. Cada vez há menos a vida dos avós na vida dos filhos. E aí era um ponto de aprendizagem desses valores muito, mas mesmo muito importante. Verdade que na escola, com professoras dotadas para tal, e com as outras crianças, o desenvolvimento/crescimento/aprendizagem acontece a muito maior ritmo. Mas depois perdem-se estes valores.

Jinho. Desculpa o testamento.

Miguel disse...

Juntas este post ao dos abraços e tens uma boa parte dos problemas resolvidos...

Beijinho

Nirvana disse...

Olá Mário
Não sei. Não sei se não aprenderam ou se se esqueceram. Sei que há algumas atitudes que não consigo entender nem aceitar. A má-educação é uma delas. A falta de respeito pelos outros é outra.
Beijinhos

Nirvana disse...

Olá Sonhadora
Ainda o outro dia no super-mercado o meu filho ficou a olhar para uma birra que um miúdo, um pouco maior que ele, fazia. Inclusivamente chamar p*** à mãe. Na adolescência é a mesma coisa, ou pior.
Beijinhos

Nirvana disse...

Cris
É um ciclo vicioso. A falta de valores gera falta de valores. E assim continua. Até que se confunde tudo e é uma total falta de tudo. Enfim!!
Beijinhos

Nirvana disse...

Olá Deia
Benvinda :)
Eu acho que não é nada fácil ser professora nos dias de hoje. Não tanto pelos miúdos mas até mais pelos pais. Alguns não têm a mínima noção de nada. Acabam por desautorizar totalmente os professores e fazerem os meninos acharem que podem fazer tudo. No meu tempo, se tinha má nota, ralhavam-me a mim. Hoje, pedem contas aos professores!
Beijinhos

Nirvana disse...

Olá, Otto Pluma
Benvindo :)
Não podemos. Mas o engraçado é ficarmos admirados com isso!
Beijinhos

Nirvana disse...

Olá, Cinderela
O que dizes é verdade. Mesmo ensinando-os, mesmo eles conhecendo as regras em casa, muitas vezes questionam, baseados nos exemplos de fora.
Por vezes, penso se não sou demasiado rigorosa com o meu filhote, mas chego à conclusão que não. Os miúdos, naturalmente, tentam sempre ver até one podem chegar e têm de ter noção dos limites. Mas que ele me pergunta porque não faço isto ou aquilo ou não o deixo fazer isto ou aquilo como a mãe de A ou B, pergunta.
Beijinhos

Nirvana disse...

Olá Bloguotico
E até a brincar, lhes podemos dar bons exemplos :)
Beijinhos

Nirvana disse...

Olá Gemini
Se toda a gente tivesse essa frase, já não digo sempre, mas durante a maior parte do tempo, faria toda a diferença!
Beijinhos

Nirvana disse...

Olá, Maria Teresa
Os miúdos hoje em dia são autênticamente "bombardeados" com informação, exigências, nem sempre bem orientadas, é verdade.
Eu adoro o meu filho e reconheço que ele tem muitas qualidades. Mas também sei ver o que não está assim tão bem, como a teimosia, a vontade de impôr a sua vontade, etc, acho que coisas próprias dos miúdos. Dou-lhe muito mimo mas também lhe chamo a atenção quando é preciso e também o ponho de castigo. Ele sabe que não é não. Tento sempre usar o reforço positivo, incentivá-lo. Mas quando ele faz asneiras, tem de assumir que fez asneira e que a culpa é dele e não do colega que lhe disse para fazer.
Beijinhos

Nirvana disse...

Uminuto
Quantas vezes não era muito mais fácil dizer que sim? Dava muito menos trabalho! Mas não é o que está correcto. Ser mãe, educador, não é só facilitar-lhes a vida, é também prepará-los para ela.
Beijinhos

Nirvana disse...

Olá Soaraia
Por vezes vejo coisas que, não fosse pela diferença física, acharia que os filhos eram os pais e os pais os filhos, ou todos filhos, porque não se distingue quem orienta quem!
Mas digo-te uma coisa, minha amiga, por vezes olho para o meu filho e fico angustiada a pensar no que será o futuro dele no mundo cão que se está a criar!
Beijinhos

Nirvana disse...

Girl
Felizmente, não sou só eu a pensar assim. Vejo muitos pais preocupados com a educação dos filhos, mas outros, pelo amor da santa, não têm a mínima noção do que isso é!
Beijinhos

Nirvana disse...

Olá, Rouxinol
É engraçado ter falado em aprender, porque na verdade, também aprendi algumas coisas como o meu filhote! Aprendi a abrandar, a valorizar muito mais as pequenas coisas, a ser mais tolerante.
Beijinhos

Nirvana disse...

Olá Libelinha
Ou seja, não vai ensinar nada!
Mas eu sei que tu vais ensinar muito bem os teus pequeninos :)))- a tia que é babada antes de ser tia :)
Beijinhos

Nirvana disse...

Olá Invisível
Acho que não é tão difícil assim. Se eles forem habituados desde sempre que não podem fazer tudo o que querem, adequado a cada idade, claro! Não tenho vergonha de dizer que já dei uma palmada ao meu filho. Na verdade foram duas vezes. Doeu-me mais a mim do que a ele, mas não ficou traumatizado! Pelo contrário, evitou 30 mil berros. Na verdade, sempre falei muito com ele. E acho que passa por aí, pela comunicação e por ele saber que me pode falar de tudo.
Beijinhos

Nirvana disse...

Olá Checa
Eu acho que é de ter pena dos dois.
Eu sempre falei muito, muito com o meu filhote. Claro que houve alturas em que tive de o pôr de castigo, porque verdade seja dita ele é um bocadinho teimoso, e embora saiba que não é não, por vezes tenta levar a dele avante. Com ele, sei que se facilitar uma vez, perco completamente a razão. Agora já nem tanto, mas quando entrou para a escola acontecia muitas vezes.
Espero, sinceramente, estar a construir com ele uma relação em que ele me tenha como mãe, amiga, que o defenderá incondicionalmente.
Beijinhos

Nirvana disse...

Olá Neisseria
Isso compete a nós, pais. Eu sei perfeitamente que nem sempre é fácil, mas ter filhos não é só tê-los. Essa é a parte fácil. A verdadeira aventura vem depois. E arranjar tempo para eles deve ser uma prioridade. Se não tivermos esse tempo, aquele que tivermos temos de o aproveitar ao máximo. Temos de nos dedicar a eles.
Na escola eles aprendem e desaprendem. O meu filhote aprendeu a mentir lá e fiquei muito triste quando ele me mentiu. Nunca mais o fez, mas aprendeu. Claro que não o posso isolar numa redoma, mas posso tentar orientá-lo. E para isso preciso de o conhecer, preciso de saber como ele é.
Beijinhos

Nirvana disse...

Olá Miguel
Alguém que ainda "sonha" mais do que eu??
Beijinhos