quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Respondendo... Beleza

A propósito disto, e em jeito de resposta aos comentários (que andam muito atrasados... Quem decidiu que o dia tinha de ter apenas 24 horas?).

Penso que seria muito esquisito olhar para o espelho e continuar à minha procura. Mudar completamente de aparência ao ponto de parecer outra pessoa seria coisa que, neste momento, não me passaria pela cabeça (digo neste momento porque não sei o dia de amanhã e palavras como sempre e nunca uso cada vez menos). Não critico quem o faz, acho que cada um deve fazer o que for preciso para se sentir bem. Acho que as razões que devem levar uma pessoa a uma transformação tão grande devem ser pessoais e não em função de outrem. Se não gosto do meu nariz, se isso me faz sofrer, então mudo-o. Se isso é importante para a minha auto-estima, se preciso disso para ser feliz, o caminho é em frente.

Queiramos ou não, a imagem é importante para muita coisa. É valorizada. Esteja correcto ou não. Se eu for trabalhar despenteada, com ar de quem não dorme há 15 dias, com calças rotas e sapatilhas esburacadas, vão olhar para mim de lado. Continuo a ser a mesma, os meus colegas são capazes de me perguntar se caí da cama ou se os ratos fizeram uma rave lá em casa, mas as pessoas com quem lido não se sentirão muito confiantes.

No fundo, todos nós tentamos estar bonitos. Não compramos roupas porque nos ficam mal (pelo menos achamos que não), não mudamos o corte de cabelo porque queremos ficar mal (às vezes corre mal, mas isso é outro assunto :)), não pomos umas pinturinhas na cara porque queremos assustar as pessoas. Mesmo nós, que somos sempre iguais, nem sempre nos vemos da mesma forma. Há dias que nos sentimos muito bem com o primeiro trapinho que vestimos e outros em que parece que nada nos fica bem. O nosso rosto mudou? Não. Engordamos ou emagrecemos 20 Kg da noite para o dia? Não. Ficamos com olhos de cor diferente? Não. Se calhar sentimo-nos menos bem connosco e a imagem que temos de nós transmite isso mesmo. Queremos sentir-nos bem. E é perfeitamente legítimo. Eu quero. Claro que é apenas o exterior, e quando olho para mim, quando olho para alguém que conheço, não vejo só a embalagem. Aliás, nem penso na embalagem. Penso em A, B ou C, que têm aquela embalagem e aquele conteúdo. Porque isso são eles/as.

A beleza, a beleza física, é um conceito muito relativo. O que eu acho bonito, outros não acharão. A beleza, vai além da beleza física. Além de poder modificar-se de um dia para o outro. Além de modificar com o tempo. Muito mais importante do que esta beleza, é a outra, aquela que está (ou não) dentro de cada um. Eu até posso conhecer uma pessoa considerada, pelos conceitos clássicos, como linda, com uma beleza perfeita; se abrir a boca e a mim só me ocorrer dizer oh-oh... tirem-me deste filme, de nada adiantará ter essa beleza exterior toda. Por outro lado, há pessoas que cativam pela sua maneira de ser, pela sua beleza, que muitas vezes nem conseguimos explicar. Simplesmente existe. Mais do que a beleza, há aquele "quê" que torna aquela pessoa bonita, especial, única.

Alguém que limita os seus relacionamentos tendo em conta a beleza física irá ter bastante trabalho ao longo da vida. Ou então, arranja um catálogo ou faz do facebook a sua única lista de amigos. Alguém que não consegue ver além do exterior, estará à espera que usem uma medida diferente com ele/a?

8 comentários:

Sonhadora disse...

Disseste tudo! Eu que já fui rejeitada por não ter um corpinho danone sei o que é sentir isso na pele! Mas não vou mudar para agradar os outros, eu sou como sou! Infelizmente muita gente só olha ao rótulo e esquecem-se de avaliar o produto!
Ontem tive aqui um caramelo no trabalho, não é muito bonito,mas até tem algum charme, é rico, mas coitadinho abriu a boca e eu só queria que ele desse de frosques, perguntas ridiculas, sem lógica e pensei: realmente o dinheiro não compra tudo!
Também há esse lado, quem só pense na conta bancária, mas esquecem-se que o dinheiro não é tudo, que ajuda, ajuda mas a certas pessoas, não faz mesmo efeito!
Gostei do teu post, cada um é como é!
Beijocas

joao disse...

Concordo com tudo o que dizes. A imagem é a primeira coisa qu nos chama a atenção, mas não é suficiente. Uma embalagem muito bonita sem conteúdo não passa disso, uma embalagem.
Peço-te desculpa pelo que vou dizer, mas já sentia falta destes teus pots com este teu sentido de humor.
A imagem que usaste está fabulosa!
Um abraço

Cris disse...

Durante um longo tempo em minha vida sofri por não ter o "tipo" certo de corpo, cabelo ou pele e deixei de viver muitas coisas legais. Hoje aos 30 anos percebo que essas coisas realmente não pesam tanto na balança existem coisas mais significativas do que o exterior. Obrigada pelo post!

Eli disse...

Eu partilho da ideia que defendes e ponho-a em prática. Aliás, até já escrevi sobre isso. Se não existissem essas pessoas que vêem além, para quê sermos diferentes?!

:)

Eli disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Soraia Silva disse...

acho que nem vale mesmo a pena acrescentar mais nada no teu texto, pois ja dizes tudo Nirvana...

mas as pessoas que se lembrem: ninguem é PERFEITAMENTE bonita/o

beijinho ;)

Anónimo disse...

A beleza exterior é efémera. A interior não. Dizes tudo.
O carisma é muito mais importante.
Lollol. Só consigo imaginar a rave dos ratos.
Beijinhos
IM

maria teresa disse...

Completamente de acordo, aliás já escrevi sobre o assunto no meu blogue.
Vou contar-lhe algo que se passa comigo que eu acho divertido. Tenho "avental" (dos partos sobrou-me pele) nunca me passou pela cabeça (nem da do meu marido, "hoje" sou viúva) sofrer uma anestesia para retirar esse excesso de pele, é feio mas não afecta em nada a pessoa que sou.
Na semana passada fui sujeita, sem esperar, a uma intervenção que esteve em vias de ser com anestesia geral e só pensava tentando rir-me para "dentro": "querem lá ver, não te quiseste pôr com uma barriga toda janota,e agora vais levar com uma anestesia geral, para o médico te caçar um implante... é para aprenderes a não "falar" nos retoques que todo o mundo faz!"
Cada um faz o que quer, pessoalmente penso que são pessoas que não sabem o que valem.
Abracinho