sábado, 27 de fevereiro de 2010

Dias...



 Há dias assim. Em que me deixo invadir por pensamentos e dúvidas. Em que tenho de falar comigo. Em que não gosto de me ouvir. Em que tenho de olhar para mim e avaliar atitudes. Em que tenho de pôr os pontos nos is.

Há dias assim. Em que tenho saudades de mim. De quem era. De como era. Dos dias em que não via problemas, apenas pequenos contratempos. Dos dias em que tinha todas as certezas sobre mim. E todas as certezas sobre os outros. Dos dias em que rir era tão natural como respirar. Dos dias em que ser eu era fácil. Em que não tinha dúvidas. Em que não pensava tanto. Em que confiava. Em que acreditava.

Há dias assim, em que tenho plena consciência de todos os meus limites. Os limites que nem sempre se mostram mas que estão lá, em qualquer momento da vida. Os limites que existem para serem ultrapassados, em que, quando o pé está do lado de lá me dá a sensação de desequilíbrio, mas quando volta para o lado de cá me dá a sensação angustiante de perda.

Há dias assim, em que penso no que era e no que sou. Em que vejo o que de mim perdi pelo caminho. Em que tento identificar quando isso aconteceu. Em como há coisas que quando se perdem, se perdem para sempre. Que não se conseguem remendar ou recuperar. Em que tenho pena de ter perdido esses pedaços de mim. 

Há dias assim, em que penso em quanto tenho ainda de crescer. Em que penso se crescer é o mesmo que endurecer. Se crescer implica realmente trancar em qualquer sítio tudo o que é bonito  e espontâneo. Se crescer significa pesar e medir palavras, sentimentos e gestos. Se crescer significa perder.

Há dias assim. Em que penso em quem sou.  Em que penso para onde vou e para onde quero ir. Em que penso como esses dois caminhos por vezes me parecem tão separados.

Há dias assim, em que queria que fossem outros dias. 
 

É o que dá ficar em casa, com este tempo horroroso, com o menino Prozac ausente. 
É o que dá não ser espanhola e não estar a dormir a sesta!!

22 comentários:

Checa disse...

Nirvana,
...se crescer significa pesar e medir palavras, sentimentos e gestos, se crescer significa perder... eu estou em crescimento contínuo :)

"É preciso endurecer sem jamais perder a ternura" - Che Guevara

Beijinhos

Di disse...

Eu estou num desses dias...

mjf disse...

Olá!
Hoje estás num dia menos bom...ânimo , linda.
Mas sem duvida que crescer doi , faz-nos endurecer, transformando-nos em pessoas mais fortes????mais cinicas ???não sei, mas diferentes sem duvida :=((((

Beijocas

Anuska disse...

Mas não são todas essas questões que nos levam a levantar a cabeça e a decidir que está na hora de nos encontrarmos?

Canhota! disse...

Olá Nirvana!

Como eu te compreendo! De facto crescer não é fácil! Mas também é no crescer que aprendemos muita coisa! o conhecermos acho que isso é constante, diário, e mais estamos sempre em mudanças e aprendizagem!
Mas força e concordo contigo os dias cinzentos, fazem com que tenhamos este tipo de pensamentos e sentimentos!

Ânimo! Porque a vida também nos traz algo de muito belo, independetemente de existirem dias ou até semanas ou até mesmo meses, menos bons!

Jinho! BOM FIM-DE-SEMANA!

p.s - gostei muito do teu blog! Parabêns!

joao disse...

Onde está a Nirvana que me inspira com o seu optimismo e visão positiva da vida? Espero que seja só efeito da chuva e que esteja de regresso em breve. :) . Não me parece que precises de crescer. Um abraço

Kika disse...

E depois respiras fundo, levantas a cabeça e sorris. Que amanhã será melhor! :)

Deia disse...

Há dias assim... um tanto para o quanto tristonhos. Mas isso passa :)

CybeRider disse...

Pois há Nirvana. Dias em que pensamos que qualquer esforço é inútil e em que a vida nos esborracha como insectos, e farto-me de afirmar que isso já passa, e se não passa? E se a realidade for assim? Porque depois de crescer envelhecemos e o gozo começa a ser a memória em vez da vida...

Belo texto. Apraz-me que o teu cinzento te inspire ao diálogo porque o silêncio nunca será bom conselheiro, ando a precisar de acreditar nisto.

Beijinho

Miss Complicações disse...

"Há dias" em que o melhor é não pensar nos "ses" da vida.
"Há dias" em que devemos olhar para as pequenas coisas que são importantes e nos fazem feliz.

Venha de lá esse prozac bem depressa Irraaaaaaaaa

maria teresa disse...

Quando olhamos para trás não devemos pensar nos "ses"... porque "se" talvez neste momento estivesse ainda com mais "ses". Olhar para trás sim mas para aquilo que nos marcou positivamente e não deixar que a vontade de sorrir fique lá no passado, traga-o sempre consigo, ele é um bem sem preço.
Abracinho

Nirvana disse...

Checa
Eu nunca quis ser muito alta! A sério que não. E não queria crescer mais. Já parece uma birra de criança mimada!
E isso é possível, minha amiga, não perder essas grandes coisas, como a ternura, por causa de pequenas coisas como a mesquinhez? Muitas vezes acho que sim, mas outras, tenho dúvidas, muitas. O pior é que sei que, amanhã, farei tudo igual! Porque há coisas qu não se perdem, porque simplesmente as somos.
Obrigada!
Beijinhos

Nirvana disse...

Di
Gosto tanto destes dias como da chuva que caía lá fora!
Beijinhos

Nirvana disse...

Mjf
Foi um dia não, sem dúvida, escuro, com muito nevoeiro que ainda não dissipou completamente. Melhorou, afastei-o, mas não passou.
Mais fortes não sei, mais duras, sem dúvida e tenho receio que menos bonitas também. Diferentes. E tenho, tenho saudades de como era, antes de crescer. E pena de ter de transportar diariamente esse crescimento que, no fundo, acho que é mais ilusório do que real.
Beijinhos

Nirvana disse...

Anuska
São todas estas questões que, queiramos ou não, temos de responder, com sinceridade, a nós próprios. Que nos lembram que ou nos encontramos, ou nos perdemos no meio de tudo isto.
Beijinhos

Nirvana disse...

Olá Canhota
Obrigada. Pela visita, pelas tuas palavras.
Não sou ingénua e sei que temos de crescer. Sei que temos de aprender. Que não é fácil. Mas há coisas que por mais que cresça não vou entender nunca.
Não esqueço tudo o que a vida me trouxe de bom, e foi muito. Geralmente desequilibra a balança para o lado bom.
Beijinhos

Nirvana disse...

João
:) Está por aqui, algures. Um dia destes encontro-a ;)
Beijinhos

Nirvana disse...

Kika
Sim, faço isso. Sempre. Mas estas conversas comigo são um pouco difíceis :)
Beijinhos

Nirvana disse...

Deia
Aquela tua imagem do gatinho estava tal e qual! Ele também devia estar a olhar para a chuva :)
Beijinhos

Nirvana disse...

Olá Cybe
E como eu gosto desses dias, meu amigo! No fundo, não é um dia em que se acorda com vocação para estas coisas. São pequenas coisas que se vão acumulando ao longo dos dias, até um dia. A tal realidade que nos custa a compreender, talvez porque nos magoa e não queremos que seja realidade. Se a realidade for assim? Terei que me tornar real, ou talvez não. Porque não somos como os programas de computador em que se mudam as variáveis num instante.

Beijinhos

Nirvana disse...

Miss C
Também acho, que venha de lá esse Prozac!
Se calhar o melhor seria não pensar neles. Mas eles conseguem ser uns chatos de primeira e não nos largar!
Beijinhos

Nirvana disse...

Maria Teresa
O sorriso é meu companheiro habitual. A maior parte do tempo. Não esqueço o que de positivo aprendi, mas para avançar, temos de enfrentar e resolver alguns destes ses :)
Beijinhos