quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Mas, no entanto, porém...


Um dia, Deus achou que tinha uma relação muito distante com os humanos. Decidiu descer à Terra, e, como toda a gente pedia saúde, nada melhor do que encarnar a figura de um médico. Depois de concorrer, foi colocado num Centro de Saúde de qualquer terra portuguesa.
No primeiro dia de trabalho, era grande a curiosidade da população para saber como era o novo médico. O primeiro doente a ser visto foi o sr. Bonifácio, paralítico desde os 5 anos, altura em que fora afectado de poliomielite, que todos os dias tomava vinte comprimidos para lhe aliviar as dores das pernas, e dos braços também, de empurrar a cadeira de rodas.
Deus teve pena do senhor, e, esquecendo-se que agora era apenas um homem, disse-lhe:
- Levanta-te e anda.
O sr. Bonifácio, livre de todas as dores, levantou-se e começou a andar. Deus disse-lhe que podia ir embora, contente com o resultado do seu trabalho. 
Ao chegar à sala de espera, era grande a confusão:
- Então, então, que tal o médico novo? Que tal é ele?
O sr. Bonifácio, com um ar muito convicto diz:
- Ora, é igualzinho aos outros! Nem uns comprimidos me receitou!!!

A frase o Homem é um eterno insatisfeito já está gasta, de tanto uso. Quando alcançamos um objectivo, arranjamos outro e outro, o que é compreensível e até saudável, se não exagerarmos e fizermos disso fonte de angústia e sofrimento. Foi assim que o Homem evoluiu e é assim que nós também vamos construindo os nossos dias.

MAS

Porque será que as pessoas não podem, pura e simplesmente, ficar contentes quando lhes acontece alguma coisa boa? "Isso é mesmo muito bom!!"; "Pois é, eu até queria muito, mas....". Arranjam logo um mas, um porém, um no entanto. Não são capazes de aproveitar aquele momento de alegria, de felicidade, em pleno. Não conseguem libertar-se dos medos, das dúvidas, do amanhã, do que está para vir, se é que vem.

Se não têm, se não acontece, é porque não têm ou não acontece. Se têm, se acontece, até parece que não têm ou não acontece.

Vou lá eu entender isto!

5 comentários:

PB disse...

Devemos estar gratos pelo que nos acontece de bom. Meio caminho para a felicidade!
Gostei muito do post.
Beijinhos

Marquês de Sade disse...

Por isso é que costume dizer que ver a vida real, ver o que de mau há por esse mundo fora, nos faz muito bem! Passamos a dar valor às mais pequeninas coisas!

Libelinha disse...

A verdade é que o Homem não se pode conformar com a vida... Senão não há evolução mas... Devia agradecer cada dia que tem na sua vida para proceder a essa mesma evolução e isso é muitas vezes esquecido!...

Beijinhos ;P

Sonhadora disse...

concordo contigo! Somos uns eternos insatisfeitos, que por vezes até é bom, mas nem sempre! Quando as coisas boas nos acontecem não sabemos agradecer, não sabemos receber as coisas boas que nos acontecem, só sabemos lamentar as menos boas! Enfim ... somos assim...
Bjocas

joao disse...

O Bonifácio iria dar valor se voltasse para a cadeira de rodas. Temos o péssimo costume de não dar valor às coisas quando as temos e de querer sempre o que não temos.
Um abraço