sábado, 12 de dezembro de 2009

E agora é xícara


"Uma xícara de pensamentos". Era isto que estava aqui escrito, no monitor, quando abri a página. Efeito Prozac. Apesar de ter optado por um nome em inglês, naquela altura em que temos de dar um nome à casa, em que os que nos ocorrem já estão todos usados, acho que o português é das línguas mais ricas e complexas do mundo. Mas xícara de pensamentos não me soa muito bem. Traduzissem por chávena, por exemplo, e até não ficaria mal.

Isto leva-me a pensar que, se para um simples objecto podemos usar os termos chávena, xícara, caneca, como podemos ter a ilusão que coisas bem mais complexas possam ter apenas uma palavra para a designar? Tivessem as palavras amizade, amor, respeito, tolerância, apenas uma designação e tudo seria bem mais simples. Assim, quando dissessem sou teu amigo, não quereriam dizer dá-me jeito ser teu amigo agora, depois vê-se. Quando dissessem tolerância, não quereriam dizer tolero aquilo com que concordo e não interfere minimamente com o meu bem estar. Quando dissessem respeito, não quereriam dizer respeito aqueles que não posso não respeitar, quando dissessem amo-te, não quereriam dizer usei a palavra mágica, garantido, ou  acomodei-me. O mesmo acontecendo com todas as outras palavras que traduzem algo mais que objectos.

Mas uma xícara é uma xícara e estou com um pequeno problema em relação às xícaras. Há uns anos, comecei a "coleccionar" canecas que trazia dos sítios onde visitava. Ia trazendo uma e depois outra, e usando conforme me apetecia. Hoje apetece-me um café à Florença, ou à Barcelona, ou à Lisboa. A verdade é que a colecção foi aumentando, não apenas à custa das que eu trazia, mas  à custa das que me traziam os meus amigos. Amigo que viajava para qualquer sítio era igual a canequinha no armário. Que eu agradeço, porque são lindas e o armário parece um mapa, mas começo a ter um pequeno problema de espaço...

Acho que vou começar a anunciar que comecei a coleccionar outras coisas e, por acaso, ocorrem-me umas ideias bem interessantes :).

7 comentários:

Trintão disse...

Então e um posto sobre os teus novos interesses como coleccionadora? :)

Kika disse...

Eu sempre li "Caneca". Porque para mim, chávena é as pequeninas e xicara não gosto e não uso... :P
A mim aconteceu-me o mesmo. Há algum tempo começei a fazer "colecção" de dois objectos que gostava, por ter muitos. Entretanto tive que anunciar ao mundo que parei, porque estava em risco enjoar de tantos...

Checa disse...

Das primeiras vezes que quiz vir aqui... aparecia no gloogle o termo "Cup of the World"... :)
Resta-nos a difícil tarefa de saber traduzir, como tu tão bem disseste, palavras como amor, respeito, tolerância etc.Por vezes até o próprio silêncio é complicado decifrar.Não podemos simplesmente etiquetar as coisas até porque o que interessa é o conteúdo.

beijinho

Rafeiro Perfumado disse...

Se te der para coleccionar plasmas, lembra-te que eu gosto muito, mas muito, de ti!

pepita chocolate disse...

Hoje andei em arrumações e apeteceu-me deitar fora todas as esferográficas que coleccionei até hoje. Ainmda não foi desta que as pus no lixo! São tantas... que também já não sei onde as colocar. Canecas ... gosto da ideia, mas realamente devem ocupar muito espaço!

Beijoca e boa semana!

CybeRider disse...

Desfeitas em saquitos individuais dão puzzles fantásticos!

(Estava a brincar!)

Repara, se arranjares umas prateleiras apropriadas apenas retiras um bocadinho à profundidade da parede. Quando queremos mesmo uma coisa...

Beijoca!

Anónimo disse...

Isto é uma dica para não te trazer mais canecas?
Recebida ;).
Beijinhos
IM