terça-feira, 27 de abril de 2010

Crepúsculo


Volto à minha praia, onde tantos momentos passei, sozinha. Como sentia falta de estar assim, na minha companhia, sem horas, sem prazos, sem um freio nos pensamentos. Eu, o mar, a areia, o silêncio apenas interrompido pelo som das ondas. Tiro as sandálias e sento-me bem perto do mar. Não tardará muito até que ele venha ao meu encontro e sinta de novo o seu suave afago nos meus pés. Sorrio, ao antecipar esse momento, enquanto coloco os braços em volta das pernas e apoio o queixo nos joelhos, olhando o horizonte. Aquele momento em que o sol está prestes a despedir-se. Ocaso, crepúsculo, anoitecer, tanto faz o nome que lhe damos, é um momento mágico. 
Deixo-me ficar assim, e penso neste momento, nesta ilusão de tempo. A quem pertence o crepúsculo? Ao dia que se despede, ou à noite que se anuncia? De ilusão em ilusão, não é difícil chegar a ti. Somos como este dia e esta noite. Encontramo-nos, mas não nos encontramos, vemo-nos, mas não nos vemos, sentimo-nos, mas não nos sentimos, tocamo-nos, mas não nos tocamos. Somos a noite e o dia, a lua e o sol, ansiando um pelo outro, esperando um pelo outro, sendo um pelo outro, sem nunca se encontrarem.
Será que existimos? Talvez. Talvez não. Uma ilusão apenas. Tal como o crepúsculo é uma ilusão. Mas, alguém negará o crepúsculo? Não sei. Eu não o posso negar. Como o posso fazer, se estou a presenciá-lo agora, neste momento? O dia não nega a noite, nem a noite nega o dia. Não existem um sem o outro, mas não podem existir um com o outro, ao mesmo tempo. Sempre juntos. Sempre separados. Sempre unidos, num momento.

11 comentários:

L* disse...

Adoro vir ler os teus textos. São tão simples e tão eu...revejo-me muito nas tuas palavras.
Bjinhos da L*

Gaja com G maiúsculo disse...

Desculpa minha querida Nirvana, mas só consigo suspirar em como tudo o que dizes é tão verdadeiro...

Abraço enormeeeee, apertadinho!

Girl in the Clouds disse...

Está fantástico o texto!!

pepita chocolate disse...

Obrigada pelo teu abraço.Apesar de virtual, não deixa de ter muito valor. Nem sabes quanto!

Beijoca!

Bloguótico disse...

Eu tenho de deixar de por cá passar depois de publicar kk post meu...

... escrever, é contigo! Muito bem! :D

JFDourado disse...

Quando é que sai o teu livro? ;)*

Crente disse...

Adoro ler-te :)
Bjs

L'Enfant Terrible disse...

Nada como os nossos momentos, únicos, sublimos, preciosos!

Rita G. disse...

Mais uma vez, adorei este post. às vezes tb sinto saudades de estar só comigo, em silêncio. Faz-me muito bem. Bj:-)

Deia disse...

Lindo!

joao disse...

Não te sei dizer a quem pertence o crepúsculo. Sei que este foi dos posts mais bonitos que li. Transmites uma imagem de tranquilidade, de serenidade, mesmo falando de ilusão. Escrito fantástico!
Um grande abraço, cara Nirvana