terça-feira, 27 de abril de 2010

Obrigada, Vida!


Alguns dos melhores momentos do meu dia são proporcionados pelo meu filho. Não me esqueço nunca que sou mãe e de lhe transmitir noções de responsabilidade e estabilidade. No entanto, acho que isso não é incompatível com brincar com o dia a dia, e até fazer algumas coisas menos convencionais. O facto de a mãe, juntamente com uma amiga, serem as únicas a descer uma rampa enorme dum insuflável, sob o olhar algo espantado dos outros adultos, ou de pôr música e dançar em casa, não significa que ele me respeite menos por isso. Mas por vezes coloca-lhe dúvidas quando eu digo uma ou outra brincadeira. Sendo ele uma criança extremamente expressiva, gosto imenso da expressão de dúvida que se espelha naquela carinha enquanto olha para mim a pensar se estou a brincar ou não. 
Há dias, andava um pouco preocupado porque tinha de cortar o cabelo até ao torneio. Habitualmente, as meninas vão muito bem arranjadas, com o cabelo preso e os meninos com gel. A apresentação também conta, nestas coisas. O cabelo dele estava num tamanho que não dava para usar gel.
- Deixa lá, P, fazemos umas trancinhas.
- Ohhh!! Nem penses!
- A sério, fazemos trancinhas pequeninas, com gel, e depois ficam assim todas no ar.
- Oh, Mamã, não achas que para quem tem a tua idade tens umas ideias um bocado malucas? 
- Acho que ias ficar muito giro! :)
- Ohhhh! Estás a brincar, não estás?

Hoje, a caminho da escola, depois de alguma luta para não ouvir pela 351ª vez os Black Eyed Peas, que ele adora, deu esta. Um atraso de dez minutos a sair de casa implica filas e filas de trânsito. Parados há algum tempo sem andar um centímetro, lá íamos cantando a música e fazendo umas coreografias com os braços. 
- Estamos parados há tanto tempo que quase podíamos sair e dançar isto lá fora, filhote.
- Ohhh.... - diz ele, enquanto olha para o espelho retrovisor com aquela expressão de dúvida - estás a brincar, não estás? 

São pequenas coisas, é certo, mas pequenas coisas que me fazem começar o dia a sorrir, a agradecer a minha vida, a agradecer o facto de o ter na minha vida. Obrigada, filho, obrigada por encheres os meus dias de alegria :).

11 comentários:

Gaja com G maiúsculo disse...

Minha querida Nirvana, ler este teu post encheu-me o coração de alegria e uma sensação de Amor. Sim este coraçãozinho que anda vazio e ferido... fizeste-me sorrir, fizeste-me pensar que talvez um dia tenha essa sorte, a de ser MÃE!

Porque é dos acontecimentos mais importantes da Vida, pelo menos para mim, preenche-nos como ser humano, e vejo isso ao olhar todos os dias para a minha Mãe, que além de tudo é e sempre foi uma Amiga e confidente, e admiro-a por isso e muito mais.
Assim como te admiro a ti, pela pessoa que tens demonstrado ser, pelas palavras que tens partilhado comigo. Obrigada!
Afinal pessoas boas ainda existem...

Beijinho enorme

Sonhadora disse...

Adorei o post, dá para perceber a ligação que têm e o quanto estás orgulhosa de ter o teu filho! Dá para "ver" que és sem dúvida uma mãe babada!
Beijocas

Marquês de Sade disse...

Mãezinha babada... :) E ainda bem!
Mr. Prozac tem sorte em ter a mãe que tem!
Bjinho

Cris disse...

São estes posts que me animam cada vez mais e não quero mais esperar que tudo esteja ok para viver a experiência da maternidade. Afinal tudo se arranja não é mesmo?!

Crente disse...

Tu és uma Mãe. Mesmo. Daquelas a sério. Principalmente por saberes brincar. Parabéns!

Rita G. disse...

Adorei este post, adorei a relação que tens com o teu filho:) bj

L'Enfant Terrible disse...

Os papeís não estão um bocado invertidos? Não sei, se calhar deve ter sido só impressão minha!

Sua mãe babosa!

Kika disse...

Um dia quero q o meu filho sinta isso mesmo, que eu seja capaz de dizer piadas e "descer" à sua idade, quando assim tiver que ser. É tão saudável!

by "A Invisível" disse...

Coitadito do meu sobrinho Prozac! :) :)Ter uma mãe que consegue igualar-se e que faz de tudo para que ele seja feliz e uma criança bem formada. Só tenho uma piquininita coisitita a acrescentar - MÃE BABADAAAA!- como sei o que isso é!!

Os nossos filhos, são únicos em dar-nos alegrias que nunca pensamos que fosse possível acontecer. Eu divido a minha vida em 2 capítulos: antes de ser mãe e após ser mãe - resultado? POR MIM TINHA UNS 8 FILHOS!! :) :)

Beijinho enorme minha Amiga babada!!

Pinkk Candy disse...

Tão querido, ainda não sabe bem quando estás a falar a sério ou a ser irónica, ehehehe ;)

joao disse...

Querida Nirvana
As saudades que tinha de te ler.
As aventuras do teu Prozac são sempre daqueles posts que me fazem sorrir. Sente-se a cumplicidade que existe entre vós e a tua alegria em ser mãe.
Um abraço