terça-feira, 13 de abril de 2010

... Titulo? Sei lá ...



Quantos relacionamentos não se desgastam, não se perdem apenas porque as pessoas não sabem falar umas com as outras. Armam-se com as suas certezas, com a sua intolerância, com a sua auto-suficiência, com a sua capacidade e aptidão inabalável de julgar os outros. Não dialogam, não dão o benefício da dúvida, não ouvem. Mesmo quando parecem estar a ouvir, na verdade não estão. Estão a medir cada palavra pela medida da sua certeza. Outras vezes, nem querem mesmo ouvir. Porque são sábias, tudo sabem, quando na verdade não sabem nada. Fazem desta arrogância a sua defesa, e o seu ataque também. Não se coibem de agredir. Falar, não. Agredir, sim. Esta parte é fácil. Agredir verbalmente o outro, seja por palavras, seja por não lhe permitir expressar-se não é certamente o caminho. E às vezes, bastava ter dito as coisas de forma ligeiramente diferente, sem ferir, sem magoar, pensando que do outro lado está um ser humano, com sentimentos, com emoções, gratuitamente julgado. 
Amordaçar o outro, não lhe dando hipótese de falar, de expôr as suas razões, o seu eu, não é apenas um acto de arrogância, é também um acto de cobardia. Receio de se ver confrontado com a fragilidade das suas pseudo-certezas, com a sua própria fragilidade. E é assim que muitas vezes se perdem pessoas que tanto teriam para dar.

16 comentários:

L'Enfant Terrible disse...

Ouvir e falar são duas coisas que parecem simples, mas não são, nós é que pensamos que as sabemos fazer devido ao desinteresse com que fazemos e talvez por isso, nem sempre se saiba ouvir, nem sempre se saiba falar ou o que dizer!

Cris disse...

Ouvir com o coração e com o interesse é um grande desafio, ontem mesmo estavamos lendo sobre isso a importancia de ouvir um ao outro. Te senti um pouco brava, está brava?
Mandei emails.

beijinhos

Gaja com G maiúsculo disse...

Mais do que ouvir é saber escutar o outro, e sobretudo, ter tolerância. A meu ver, e a minha perspectiva poderá estar errada, muitas relações que terminam têm a essência necessária para darem certo, contudo transformam o amor, num jogo, jogo de sedução, de conquista, de medir forças, de testar o outro, e isso cansa, satura, desgasta.

Acredito que o valor da construtividade numa relação prevalecia à uns anos atrás, hoje em dia comparo-as com um jogo da playstation, no qual quando ''chegamos'' ao fim, deixa de ter piada, pois foi atingido o objectivo.

Poderá ser uma perspectiva pessimista, mas pelo que passei e vejo à minha volta, é um pouco isso.

Beijinhos linda

E. disse...

É bem verdade. Perdemos oportunidades de ouro por não saber ouvir nem falar. Mas apesar do desafio torna-se mais recompensador.

Um Beijinho*

Ana Frazani disse...

Gostei muito do seu blog bastante criativo!!

by "A Invisível" disse...

Ó minha Amiga;
Tantas verdades, e tanta "discussão", que dava este post...
Adoro as tuas divagações minha amiga, fazem-me sempre pensar. E isso e bom. :) :)

Beijinho ENORME e aquele abraço*

Amanhã falarei contigo face-to-face!!

:) :)

Fuiiiiiiiiiiiii!!!

Canhota! disse...

Querida Nirvana!

A comunicação foi, é e será sempre um motor de relacionamento entre as pessoas, se a mesma não existe ou deixa de existir ou então é feita de forma indecifrável por uma das partes ou ambas...nada poderá resultar!

O que acabas de escrever infelizmente é uma realidade dura e crua...acontece entre casais, acontece no nosso dia, acontece no nosso trabalho!

Um beijinho muito mas muito grande de quem adorou ler o que escreveste!

maria teresa disse...

Escutar não basta, é preciso saber ouvir e isto é algo que nem todos sabem fazer. Também há o caso de nem todos terem coragem para falar e falar é essencial... não sempre se consegue "adivinhar".
Um "desabafo" com muito "sumo", gostei!
Abracinho

Eli disse...

Concordo.

É preciso que haja essa comunicação, que as pessoas se sintam livres a conversar sobre o que entenderem, que haja uma abertura de ambas as partes...

:)

Neisseria Gonorrhoeae disse...

Ufa... que intensidade. Cheguei ao fim cansado, mas adorei ler.

tens toda a razão.

Jinhos

Sonhadora disse...

Concordo contigo! Não sabemos falar, normalmente passamos pra o confronto!
Costuma-se dizer, que a falar é que a gente se entende!
Beijocas

Libelinha☆ disse...

O povo cada vez mais olha para o seu umbigo e... Só escutam quando se fala deles e mesmo assim... Se for uma critica, em vez de se analisarem... Partem para os confrontos!...
Esquecem-se que o essencial é darem um ouvido... Darem uma palavra... Estabelecer relacionamentos...

Beijinhos ;P

Girl in the Clouds disse...

A comunicação é de facto muito importante, mas para algumas pessoas é difícil sairem da egosfera!!

*C*inderela disse...

O problema é esse mesmo, as pessoas não estão para ouvirem os outros e resolver os problemas. O dialogo é muito importante para qualquer relação sobreviver.

Bjokas ****

Soraia Silva disse...

os problemas nas relaçoes, sao mesmo esses.

acima de tudo vem o orgulho à qual se julgam com certezas de tudo, julgam que o lado delas é o correcto, o mais sensato, que apenas ela tem razao no que diz, porque se o outro falar nao vai adiantar de nada.

ficamos com as nossas ideias, sem querermos dar o braço a torcer e tentar perceber se o outro tem razao. nao se fala por orgulho, nao se dá o braço a torcer por orgulho, nao se perdoa por orgulho e no final perde-se o outro simplesmente por causa da m**** do orgulho...

deixar de falar ou por os acentos nos "is", pode ser fatal.

Tia Complicações disse...

As pessoas não ouvem, ouvem-se só a elas como se fossem donas da razão. É preciso ouvir e reflectir responder com calma porque por vezes não é o que se diz que magoa, mas sim como se diz...
Gostei deste post, foi muito criativo, ensina-nos a ser mais sensíveis em relação ao nosso semelhante

Beijos