quarta-feira, 3 de março de 2010

Capítulo encerrado


There comes a point in your life when you realize who matters, who never did, who won't anymore, and who always will. So don't worry about people from your past, there's a reason they didn't make it to your future...

Virar páginas não é fácil, principalmente quando essas páginas foram escritas com amizade e dedicação. Fica a satisfação de terem sido escritas assim. Para mim, páginas que valeram cada letra, cada palavra, cada frase. Que não foram páginas vazias. Aí sim, seria razão para ficar triste. Ter um livro cheio de páginas vazias. As minhas estão cheias de palavras com significado, escritas por mim e escritas por quem cruzou a minha vida. De momentos que valeram a pena, porque todos os momentos valem a pena. Se soubermos como fazê-lo.  Se quisermos. Têm também frases, e páginas inteiras riscadas. Erros. Algumas tiveram direito a adendas, outras não passaram de rascunhos. Mas nenhuma foi arrancada, por vergonha das letras que continha. 

As páginas viram-se, mas não se apagam, e é cada uma dessas páginas que nos define. Não queremos um livro pela capa. Queremos um livro pelo seu conteúdo. De pouco vale uma capa bonita quando o conteúdo é desprovido de sentido. Cada pessoa tem neste livro um lugar especial, um capítulo em aberto, onde vou escrevendo cada dia. Alguns capítulos foram encerrados, por não haver mais nada a acrescentar. Encerro hoje mais um. Provavelmente deveria tê-lo encerrado mais cedo. Haverá quem lhe chame teimosia, quem lhe chame fé, quem lhe chame burrice. Eu chamei-lhe amizade. Não gosto de encerrar capítulos, demoro o meu tempo. Até aquela sensação de que seria possível escrever mais qualquer coisa desaparecer.  

26 comentários:

Jeanette Zork disse...

Gostei muito do que li na horizontal aqui no teu blog...vou voltar mais vezes para desfolhar outras páginas deste cantinho que espero nunca seja encerrado :)

Zork Kissis***

continuando assim... disse...

convite para a seguir a história de Alice
lá no ...continuando assim...


bj
Teresa

Sonhadora disse...

Está tudo dito!
Beijocas

Checa disse...

Encerrra um capítulo, mas nunca feches a porta, se fecharmos a porta a todos os erros, a verdade ficará lá fora.

Beijinhos

Psiuuuu!!Sou eu! disse...

Como eu te entendo...não é fácil chegar a esse ponto, ás vezes até o dizemos em palavras que o vamos fazer, mas ainda não interiorizamos, achamos sempre que vai haver mais qualquer coisa para escrever, mas também é verdade que chega a um ponto em que percebemos que afinal não há mesmo mais nada para escrever e aí damos o passo e finalmente encerramos...porque tem mesmo que ser!
E a vida continua e outros capítulos se iniciam...
Bjinhos :)

Cris disse...

Oi você consegue ser tão especial mesmo que te conheça apenas virtualmente não posso imaginar alguém magoando-te a este ponto... mas não se preocupe tem situações (a grande maioria delas eu diria) que nos mostra que foi melhor assim e sei que vai acabar por descobrir isso. Se teve a coragem de encerrar este capítulo fique ansiosa para abrir o próximo que com certeza virá recheado de bons personagens mas não esqueça os maus fazem parte da trama.

Beijinhos

by " A Invisível " disse...

Agora surgiu-me uma pergunta assim a modos que pertinente!
"Será que um dia farei parte desse teu livro?!" (hihiih!!)

Adorei o texto. Aliás, mais um que adorei!

Beijinho grande* minha sempre querida Nirvana*
Boa quarta-feira com muita paz*

Libelinha☆ disse...

Que seja um fechar de capitulo mas nunca o fechar de um livro!...

Beijinhos ;P

Gemini disse...

"Na minha vida tive palmas e fracassos
Fui amargura feita notas e compassos
Aconteceu-me estar no palco atrás do pano
Tive a promessa de um contrato por um ano
A entrevista que era boa
E o meu futuro foi aquilo que se viu

Na minha vida tive beijos e empurrões
Esqueci a fome num banquete de ilusões

Não entendi a maior parte dos amores
Só percebi que alguns deixaram muitas dores

Fiz as cantigas que afinal ninguém ouviu
E o meu futuro foi aquilo que se viu

Adeus tristeza, até depois
Chamo-te triste por sentir que entre os dois
Não há mais nada pra fazer ou conversar
Chegou a hora de acabar

Na minha vida fiz viagens de ida e volta
Cantei de tudo por ser um cantor à solta
Devagarinho num couplé pra começar
Com muita força no refrão que é popular
Mas outra vez a triste sorte não sorriu
E o meu futuro foi aquilo que se viu

Na minha vida fui sempre um outro qualquer
Era tão fácil, bastava apenas escolher
Escolher-me a mim, pensei que isso era vaidade
Mas já passou, não sou melhor mas sou verdade
Não ando cá para sofrer mas para viver
E O MEU FUTURO HÁ-DE SER O QUE EU QUISER!"

Fernando Tordo - "Adeus Tristeza"

És a realizadora do teu próprio filme, nunca te esqueças, Nirvana!

Beijo grande.

mimanora disse...

Só conseguimos virar a página quando estamos preparados, leva o seu tempo e temos sempre esperança que alguma coisa mude...

Adorei ler este teu post, revi-me em cada frase que escreveste de uma forma, linda, doce e tranquila (foi o tom que me pareceu...)

Beijinho

Canhota! disse...

Nirvana!

A nossa vida é mesmo um livro e que grande livro, mas por vezes esse livro é e tem que desdobrado em vários, contudo não quer dizer que ao terminarmos um desses livros que não se continue a escrever!

Escreve como sabes escrever, isto é, lindamente!

Jinhos grandes e Força!

Deia disse...

As páginas da amizade são das mais difíceis de virar! Mas são assim as páginas da vida, umas mais difíceis outras bem mais fáceis! bjs

Nirvana disse...

Olá Jeanette
Obrigada pela visita, e pelas palavras.
Será retribuida a visita.
beijinho

Nirvana disse...

Continuando assim
lá irei :)
beijinhos

Nirvana disse...

Sonhadora
Acho que aquela frase no início diz, realmente, tudo.
Beijinhos

Nirvana disse...

Psiuuu
Éisso mesmo! Mas, pelo menos comigo, quando encero, encerro. Demora, mas depois dificilmente reabro. Desilusão, desencanto, dificilmente voltam a deixar que as coisas regressem.
Beijinhos

Nirvana disse...

Checa
Às vezes não há como não fechar a porta, amiga. Este capítulo não tem mesmo mais nada a acrescentar. Excepto eu magoar-me mais.
Beijinhos

Nirvana disse...

Cris
:) Obrigada pelas tuas palavras. Sei que são sinceras, e por isso mesmo, me chegaram ao coração.
Por haver pessoas que valem a pena, mantenho a certeza que nem tudo é efémero e passageiro neste mundo, assim como há quem goste do outro sem ser com base apenas no que necessita.
Esqueço-me muito desses, dos maus.
Beijinhos

Nirvana disse...

Invisível
Um capítulo bem colorido, espero!!
Só pelos sorrisos que já me arrancaste, já farias.
E ainda não conseguimos falar! Eu esqueço-me de ligar aquilo. Vou tentar não me esquecer (falta de hábito).
Gosto muito de ti, mas isso já não é novidade :)
Beijinhos

Nirvana disse...

Libelinha linda
Não, esse espero não fechar tão cedo! :))
Beijinhos

Nirvana disse...

Gemini
Obrigada :))
Tanto de verdade nessa letra. Escolher-me a mim. Esqueço-me tantas vezes disso. Nem penso muito no futuro, mas há-de ser o que eu fizer dele, de como fizer o meu presente.
E tens razão (como sempre), só depende de mim.
Beijinho grande, Gemini

Nirvana disse...

Mimanora
Eu demoro algum tempo. Por vezes sou um bocadinho "lenta". Demoro algum tempo a assimilar certas coisas, a aceitar, a processar, e a acreditar. A entender também. Enquanto não consigo processar tudo isso, ando inquieta, penso e penso, mas depois, embora a mágoa pemaneça muitas vezes, tento retirar algo de positivo e continuar, com esperança que no futuro será melhor.
Beijinhos

Nirvana disse...

Canhota
O livro da minha vida vai continuar a ser escrito, isso sem dúvida. Sei que vai haver capítulos que se vão iniciar e que vão acabar. Outros vão-se iniciar e ser preenchidos por momentos e pessoas lindas. Enfim, vai ser vida!
beijinhos

Nirvana disse...

Deia
A amizade é algo tão, tão precioso para mim que é das coisas que mais tenho dificuldade em ultrapassar, quando chego à conclusão que afinal, não existiu.
Beijinhos

Miss Complicações disse...

Burrice? Nada disso. Isso é viver. Que raio de vida seria a nossa se nada ficasse para recordar, se não houvessem erros para aprender. A riqueza de cada um de nós é exactamente isso. As memórias que, quer sejam boas ou más, são fragmentos da nossa vida, daquilo que somos.

Nirvana disse...

Miss C
Concordo plenamente contigo!! Embora por vezes a ideia burrice aflore o meu espírito!
Beijinhos