quarta-feira, 17 de março de 2010

Capacidade de síntese!



Desço a Rua

I
Desço a rua.
Há um buraco fundo no passeio.
Caio.
Estou perdida... Estou desamparada
A culpa não é minha.
Levo uma eternidade a sair de lá.

II
Desço a mesma rua.
Há um buraco fundo no passeio.
Finjo que não o vejo.
Caio lá outra vez.
Não posso acreditar que estou no mesmo sítio.
Mas a culpa não é minha.
Ainda levo muito tempo a sair.

III
Desço a mesma rua
Há um buraco fundo no passeio.
Vejo que está lá.
Mas ainda caio lá dentro... É um hábito...
Tenho os olhos abertos
Sei onde estou.
A culpa é minha.
Saio imediatamente.

IV
Desço a mesma rua.
Há um buraco fundo no passeio.
Passo ao lado.

V
Desço outra rua.

Portia Nelson, Autobiography in five short chapters

24 comentários:

by " A Invisível " disse...

Querida Nirvana;

Não conhecia este texto, mas é profundo e dá que pensar...

Querida Amiga, desejo-te um óptimo dia, com muitos sorrisos à mistura e paz... Sempre muita faz.

Beijinho* e "aquele" abraço MUITOOO, mas MUITO apertado* ;) ;)

Marquês de Sade disse...

Por momentos pensei que estava a ler a letra de uma música do Abrunhosa :))))))
Bjinho

Lana disse...

o dificil acho k é mesmo o manter-se na mesma rua e desviar-se do buraco. creio k as coisas sa passam kd enfrentadas ja nao nos assustam. nao sei. sou eu a divagar =)

Mário Rodrigues disse...

Experiência não é o que se vive, mas antes o que fizemos com o que vivemos...

Um beijo

Pinkk Candy disse...

gostei de ler!
e fez-me lembrar de quando eu estava grávida e desci a rua com a minha mãe, e estava lá um buraco, e zás a minha mãe não o viu e meteu lá o pé e caiu, e eu não conseguia ajudar a levantá-la, vá lá que passaram umas pessoas que ajudaram. e não, a minha mãe não se esqueceu desse buraco, nem eu, e passei a passar ao lado dele das próximas vezes, e agora já o fecharam. mas o que não falta são mais buracos!
não tem nada a ver, mas lembrei-me e contei...
os buracos têm muito que se lhe diga!

xoxo

Psiuuuu!!Sou eu! disse...

Gostei muito, tão simples e tão real com o que acontece na nossa vida... estou a tentar não voltar "a cair no buraco" e conseguir contorná-lo!
Bjinho

Lápis disse...

É por textos como estes que alguns blogues se podem dar a determinados luxos (if you iknow what I mean) :)

Bloguótico disse...

Depois de um coment metafórico no "crónica", eis um post metafórico no "a cup of thoughts"!! :D

Não sei porquê, mas algo me diz que ao descer a outra rua, houve nova queda num buraco!! LOL

Checa disse...

Imagem da vida...teimosia ou burrice:) por vezes mesmo sabendo que provavelmente vamos cair teimamos em ir pelo mesmo caminho, e depois? depois é sair desse buraco outra e outra vez, quantas vezes for necessário, até percebermos que o mais lógico, e também o mais confortável é seguir outro caminho, onde provalvelmente também encontraremos buracos! Fazer o quê? A vida é isso mesmo... uma sucessão de quedas! O que interessa mesmo é continuar a caminhar...

Beijinhos

Girl in the Clouds disse...

Dá que pensar sem dúvida!!

Canhota! disse...

Os "buracos" que encontramos por vezes são muito complicados e mais quando caimos várias vezes no mesmo só porque insistimos em passar no mesmo "sitio" mas existe sempre um dia que paramos e pensamos: BASTA chega de ser sofrdora...acabou não passs mais pelo local aonde sabes que existe aquele buraco que tanto quer sentir a tua queda!

E ai partimos para uma estrada lisa e sem buracos e toda se torna mais fácil!

jinhos :)

Adorei o post, lindo de "morrer"

joao disse...

Cara Nirvana
Podia não haver buracos para cair, mas não era a mesma coisa. Parece que a principal culpada é a culpa. É aí que reside a diferença entre cair ou não cair.
Um abraço

Nirvana disse...

Querida Invisível
Achei uma capacidade de síntese fantástica porque, afinal, é o que nos acontece na vida. Errar, aprender, errar, por vezes acertar.
"Aquele" abraço, amiga

Nirvana disse...

Marquês
Lembras-te de cada uma!!! :))
Se calhar, ele ainda aproveita a letra!
Beijinhos

Nirvana disse...

Lana
Concordo contigo. Muitas vezes sabemos que o buraco está lá, mas ele exerce uma atracção tão grande sobre nós que tornamos a cair. Até aprendermos a desviar-nos, ou não!
Beijinhos

Nirvana disse...

Caro Mário
Como sempre, sábias palavras. O que fazemos com o que vivemos, como vivemos com o que aprendemos.
Beijinhos

Nirvana disse...

Pinkk
:))
Esses, os reais, aprendemos a evitá-los rapidamente, não é? Os outros é que são piores. Mas também conseguimos, se quisermos.
Beijinhos

Nirvana disse...

Psiuuuu
Foi isso mesmo que pensei, quando li isto. Tão simples, tão real!
O primeiro passo é querermos não cair!
Beijinhos

Nirvana disse...

Lápis
Obrigada!
Pode ter alguns erros de tradução, porque o que li estava em inglês, mas a ideia era esta mesmo.
Beijinhos

Nirvana disse...

Bloguótico
Tu a falares a sério!! Quase que me convenceste!! :D:D
Mas de certezinha que havia outro, na outra rua!
Beijinhos

Nirvana disse...

Checa
Disseste tudo! O que interessa é continuar a caminhar. Não ficar dentro do buraco, nem não caminhar por medo de cair!
Beijinhos

Nirvana disse...

Girl
A mim deu-me. E de que maneira!
Beijinhos

Nirvana disse...

Canhotinha
É isso mesmo. Saber dizer basta. Saber ter coragem de não nos magoarmos. :)
Beijinhos

Nirvana disse...

João
Provavelmente não seria a mesma coisa. Não sei se a culpada é a culpa ou a teimosia!!
Beijinhos