domingo, 30 de maio de 2010

Dias assim


E há dias assim. Perfeitos. Dias que conseguem, num só dia, trazer-nos de volta a nós. Dias em que, aparentemente, nada de extraordinário acontece: não nos sai o euro-milhões, não vamos a Paris nem à Polinésia, não damos a volta ao mundo,  não ganhamos a maratona. Dias preenchidos com o dia, com as coisas pequenas, aparentemente banais, de (quase) todos os dias. Foi assim o dia de ontem. 

Nem sempre é fácil equilibrar o barco que é a vida. Encontramos o nosso ponto de equilíbrio, vamo-nos equilibrando nas ondas, mas por vezes estas balançam demais. Ancorados ao nosso barquito, que, de forma amadora, tentamos manter à superfície da água, existem outros barcos. Já não é só o nosso barco que temos de governar, mas os outros também, e não é fácil. Por vezes esses outros barcos ancoram-se de tal maneira ao nosso que ficamos ali, presos, sufocados, sem espaço. As últimas semanas foram assim. Más. Demasiadas pressões, demasiadas contrariedades, demasiados problemas a resolver, demasiado cansaço. Há que equilibrar o barco, se não queremos naufragar. 

Tratamento? Um dia inteirinho só com o meu filho lindo! Só eu, ele, e o dia por nossa conta. Fazer coisas como lavar o carro, com direito a banho para os dois, comprar umas sapatilhas em que saio da loja a rir-me com a conversa dele com o vendedor por não ter sapatilhas de rodinhas para mim, comer um gelado sentados no parque, com direito a repetição,  fizeram do dia um dia de paz como não tinha há muito. A sessão de dança foi um dos momentos altos do dia. Ele e os colegas andam encantados com a dança, nomeadamente alguns passos do Michael Jackson, como o moon walk e o circle slide. Aprendido step by step. Não é tão fácil como parece. Experimentem! Ao fim do dia, quando já bocejava um bocadinho, fiquei a saber o que são "sónias". Para quem não sabe "estás com sónias" é o contrário de estar com insónias. 
Este menino conseguiu, num dia só, devolver-me o riso, a descontracção e tanta paz!
 

À noite, depois de o sr. Prozac estar estafado, tempo para sair e descontrair um bocadinho. Brindar à Amizade, porque ela merece, quando existe, quando é verdadeira. Agradecer por ter pessoas especiais na minha vida. Pessoas que valorizam a verdade, a amizade, a partilha. Que nos aceitam como somos, que não nos julgam, que nos ajudam. Que nos ouvem, não só com os ouvidos. Que nos ouvem mesmo. Que brincam, mas sabem o que é sério. Que nos fazem bem. Obrigada, Invisível, por estares aí!

Há dias assim, em que voltamos a nós. Em que reencontramos a serenidade, a paz, que nos faz tanta falta.

5 comentários:

L'Enfant Terrible disse...

Dias que não se esquecem e duram mais tempo na nossa memória do que uma década inteira!

by "A Invisível" disse...

Minha Amiga;

Existem dias e que ficam marcados para o resto da vida. Ontem, foi um desses dias!
Há que aproveitar! Viver! Sentir! Mas acima de tudo, ter a ousadia para contrariar as situações menos boas.

P.S. - És única! Todas as tuas palavras são reciprocas. Sabes perfeitamente disso.

Obrigada por tudo minha Amiga*
Beijinho e aquele abraço apertado*

Canhota! disse...

Olá Nirvana!

Antes de mais obrigada pelos teus lindos comentários lá no meu cantinho!

E sobre o que escreveste só tenho a dizer que dias assim que nós recordamos com mais amor e carinho e são dias assim que os nossos filhos os irão recordar igualmente com os mesmo amor e carinho e creio de uma forma ainda mais especial.

jinhos grandes!

S. disse...

São esses momentos que guardamos para sempre... que nos deixam com um sorriso enorme.

Beijinhos enormes querida.

Miguel disse...

Um post lindo, também...

Há dias que valem a semana toda... (para não abusar...)