domingo, 3 de maio de 2009

Se... pudesse viver novamente...






Às vezes parece que nos lêem o pensamento, mesmo à distância. Como o post anterior mostra, o meu estado de espírito hoje não era dos melhores. Foi melhorando ao longo do dia. Nada como muito mimo de mãe para me confortar, o sol para me alegrar e um passeio à beira-mar para pensar. Pensar no que é importante. E cheguei a uma conclusão brilhante. O importante sou eu!! Tudo o que nos vai acontecendo serve para nos fazer crescer, e coisas que na altura parecem más acabam por se revelar tão acertadas!

Hoje tinha na minha caixa de e-mail este texto, que um amigo me enviou.

"Se eu pudesse viver novamente a minha vida, na próxima trataria de cometer mais erros. Não tentaria ser tão perfeito, relaxaria mais. Teria menos pressa e menos medo. Daria valor secundário às coisas secundárias; na verdade, bem poucas coisas levaria a sério. Seria muito mais alegre do que fui. Só na alegria existe vida. Manteria distâncias enormes das pessoas ciumentas e possessivas. Seria mais espontâneo. Correria mais riscos, viajaria mais, contemplaria mais entardeceres, subiria mais montanhas, nadaria mais rios. Seria mais ousado: a ousadia move o mundo. Iria a lugares onde nunca fui, comeria mais gelados e menos sopa. Teria menos problemas reais e nenhum imaginário. Eu fui uma dessas pessoas que vivem preocupadamente cada minuto da sua vida; claro que tive momentos de alegria. Mas, se pudesse voltar a viver, tentaria ter somente bons momentos. A vida é feita disso: só de momentos, nunca percas 'O agora'. Mesmo porque nada nos garante que estaremos vivos amanhã de manhã. Eu era um desses que não ia a parte alguma sem um termómetro, um saco de água quente, um guarda-chuva ou um para-quedas; se voltasse a viver viajaria mais. Não levaria comigo nada que fosse apenas um fardo. Se eu pudesse voltar a viver, começaria a andar descalço no início da Primavera e continuaria assim até ao final do Outono. Jamais experimentaria os sentimentos de culpa e ódio. Teria amado mais a liberdade e teria mais amores do que tive. Viveria cada dia como se fosse um prémio. E como se fosse o último. Daria mais voltas na minha rua; contemplaria mais amanheceres e brincaria muito mais do que brinquei. Teria descoberto mais cedo que só o prazer nos livra da loucura. Tentaria uma coisa nova todos os dias, se tivesse outra vez uma vida pela frente. Mas como sabem, tenho 88 anos e sei que estou morrendo."


Não faço ideia quem o escreveu, mas tenho a certeza de uma coisa: não quero escrever o mesmo quando tiver 80 anos. Quero escrever: se pudesse viver novamente a minha vida, viveria a mesma que vivi. Por isso, tristeza...longe de mim, se faz favor.

3 comentários:

pepita chocolate disse...

O texto é magnífico...e se pudesseviver a minha vida de novo, faria tudo diferente!

Beijoca!

Dry-Martini disse...

Obrigado pela visita e sobretudo pelas palavras.

Prometo voltar com tempo devido para "cuscar" lentamente. Como gosto .)

XinXin

CybeRider disse...

Fico dividido... Sinceramente acho que faria algumas coisas iguais, outras acho que mudaria, só pelo gozo de ver o resultado.

O pior é que não sei até que ponto ao mudarmos uma não acabamos por mudar todo o resto... Que isto às tantas é como um castelo de cartas.

Olha deixas-me a pensar...

Bjk