terça-feira, 2 de junho de 2009

Arte?

Hoje, ao ler a revista Sábado, na secção Artes, que habitualmente vejo com interesse, leio o seguinte título: A Arte que o quer chocar. Arte, pergunto eu, mas isto é arte?

Marco Evaristti

"O artista chileno ganhou notoriedade com uma instalação de 10 misturadoras que tinham peixes vivos lá dentro. Ao público, era dada a opção de ligar ou não a máquina e matar os peixes. Pelo menos um visitante do museu carregou no botão, matando os peixes". Isto esteve presente no Trapholt Modern Art Museum, na Dinamarca

.




É isto exposto num museu?? Meter água e uns peixinhos em misturadoras?? Mais arte faço eu nos meus batidos, então!


Guillermo Habacuc Vargas

"O artista da Costa Rica expôs um cão vadio numa galeria de arte na Nicarágua, em Agosto de 2007. O animal, chamado Natividad, estava preso com uma corda, sem comida nem água, até morrer. O artista foi convidado a repetir a performance na Bienal Centroamericana de Artes, nas Honduras, em 2008."








Mas está tudo louco?? Prender um cão, maltratá-lo, e chamar a isso arte? E as pessoas vão ver isto?? Passam e andam e está tudo bem? Acham normal? E ainda é convidado a repetir? Até o nome do cão é um requinte de malvadez. Se o cão era vadio, não devia ter nome e o nome Natividad deve ter sido dado pelo brilhante autor desta obra de arte (mas isto já é uma suposição minha).


Lembrei-me de uma frase que li há algum tempo sobre arte:
" A Arte é necessária para que o Homem se torne capaz de conhecer e mudar o Mundo. Mas a Arte também é necessária em virtude da magia que lhe é inerente." Ernst Fischer, A Necessidade da Arte.

Definir arte não é fácil. Há vários tipos de arte e o que para uns é arte, para outros não passa de um monte de rabiscos ou sucata. Eu penso que a arte é sempre um processo criativo, cria-se algo. Não se destrói. A arte desperta emoções. Gosta-se, não se gosta. Entende-se, não se entende...
A isto não chamo arte, chamo crueldade, chamo estupidez.

11 comentários:

Anterus Belchans disse...

Muito pior do que a constatação de onde a imaginação deste senhor pode ir, se o deixarem, são os idiotas que ainda o apoiam e permitem que continue a subsistir.

engenheiro disse...

È conhecida pelo nome de Shock art! É uma arte contemporânea que incorpora imagens pertubadoras, sons ou cheiros para criar uma experiência chocante. Os defensores desta arte argumentam que ela é "embutida com comentário social" e os críticos designam-na como "poluição cultural".

engenheiro disse...

Medíocre! Muito!

mimanora disse...

O pior nisto tudo é a publicidade que lhe fazem e estranho o silêncio das associações de defesa dos animais.

CybeRider disse...

Quando perdemos os valores que nos tornam humanos tudo é defensável.

A guerra é uma forma de arte. Entrar nessa exposição e explodir todos os visitantes é uma forma de arte. Agarrar num sabre Samurai e decapitar transeuntes é uma forma de arte.

Quando não temos formação suficiente para entender que maltratar qualquer ser indefeso por deleite não é digno deveria ser a sociedade a fazê-lo, por isso a anarquia é um sistema perigoso.

Os espectadores são vítimas a quem os termos "exposição", "arte", "espectáculo", "cultura", anestesiam ao ponto de não conseguirem reagir ao óbvio. Estão aliás predispostos pelas definições a não reagir ao óbvio. Não se assumem como cúmplices, que são, porque aceitam o papel em que se (os)colocam de meros observadores. É o tal sacudir de responsabilidades transversal à sociedade, que nos diminui como um todo .

Tivemos há pouco tempo a exposição do corpo humano em Lisboa, onde se usaram cadáveres humanos de forma controversa. Mas esses, pelo menos, não sofreram. (E não, felizmente, não fui ver).

Bjk

Soraia Silva disse...

Hoje em dia acho que as pessoas aproveitam-se de varios termos, como arte, para fazerem o que lhes apetece e justificar-se como arte!!!

eu gosto de arte, estive num curso de artes...
arte para mim, é levar a imaginaçao até à criaçao de algo, algo que nao afecta os outros, é apenas a superioridade da nossa imaginaçao...
a arte nao tem que agradar os outros, se nao a nós mesmos, ja por isso nao os tem que afectar...
quem gosta admira, quem nao gosta "parte para outa"...

se formos ver as coisas assim, como esses individuos, posso afirmar entao, que o que o governos faz é ARTE!!!
(se para eles a arte tem de atingir os outros ou algo)

enfim...


beijinho :)

Intruso disse...

subscrevo.

JFDourado disse...

Essa do "artista" Vargas já a conhecia, e na altura assinei uma petição onde as pessoas protestavam contra essa situação.
Também é triste a indiferença para com o sofrimento do animal que transparece nas pessoas que surgem nas imagens.
Já a do "artista" Evaristti não conhecia. Pelo menos ele podia ter colocado misturadoras com o botão a não funcionar caso fosse premido...

Lapa disse...

Olá Nirvana
Penso, acima de tudo, que "isto" não tem classificação possível!
Penso também que a melhor forma de protestar contra todo este genero de "isto", é pura e simplesmente ignorar. Comentar uma coisa deste calibre é torná-la polémica e por isso apetecível e é mediatizá-la.
Proponho, modestamente, que não se dê espaço na 'blogosfera' para aberrações desta natureza. O nosso silêncio, o nosso desprezo, há-de "matar" estes... limitados mentais!

Bjinho.

CybeRider disse...

Voltei para te agradecer MUITO o facto de teres publicado isto aqui na blogosfera.

Sou por natureza muito distraído, ando sempre com a cabeça no meu próximo artigo, estás a ver?

Daí que ache muito importante que te tenhas lembrado deste assunto, porque tal como me poderia ter distraído com a exposição que houve em Lisboa, e que referi no meu comentário anterior, nunca se sabe quando uma exposição deste teor não passa por uma das nossas capitais de distrito e não apanha uma quantidade de incautos que vão atrás das tais cenouras, cultura, arte e não sei mais o quê, e depois são apanhados nas fotografias com ar aparvalhado a olhar para as coisas por não terem tido uma opinião formada atempadamente.

E detesto(!!!) ficar mal nas fotografias!

Ainda bem que tive a opotunidade de ler este teu artigo oportuno, que me deixa alerta.

Bjk!

CybeRider disse...

Errata

opotunidade= oportunidade em que o "r" ficou no o'pote...