domingo, 26 de abril de 2009

Voaram, as férias...

Uma semana passa rápido, principalmente quando estamos de férias. Amanhã levantar cedo para ir trabalhar.... HELP!!!!!!!

Estas mini-férias, com uma amiga de longa data, vieram mesmo na altura certa. Só uma semana, mas uma semana muito proveitosa. Foi bom afastar-me daqui. Às vezes é preciso afastarmo-nos para nos aproximarmos...
Depois de deixar de me sentir culpada por ter ido de férias...afinal já estava lá... decidi
aproveitar. Foi como voltar aos 20 anos, quando íamos de férias quase sem dinheiro no bolso. Desta vez, já tínhamos uns trocos. Passeamos, dançamos, falamos imenso, comemos IMENSO, embebedamo-nos (coisa não muito bonita para se dizer aqui, mas afinal este blog é para eu ler!). Foi muito bom.
Como ela é um pouco mais preguiçosa que eu, tive tempo também para me dedicar a uma das coisas que mais gosto de fazer: ler. Levei dois livros. Nada de literatura pesada. Para férias não, por favor! Coisas leves, ou se calhar não tão leves assim. "Geração mil euros" e "Ele não está assim tão interessado".




Geração Mil Euros, um livro que se lê bem,descontraidamente, numa esplanada, apesar de retratar uma situação bastante preocupante da nossa sociedade, em que os jovens licenciados, com imensa capacidade de trabalho, cheios de cursos, pós-doutoramentos, mestrados, etc, não conseguem arranjar uma situação laboral estável e sobrevivem perante situações precárias de trabalho e ordenados reduzidos.
Antonio Incorvaia e Alessandro Rimassa, dois jovens italianos, inspirados nas suas próprias experiências de vida criaram um blogue - www.generazione1000.com - onde relataram a realidade vivida por uma grande parte da população da Europa com menos de 35 anos, os mil-euristas. Daqui nasceu o livro, que conta a história de Cláudio, um jovem de 27 anos, licenciado e "junior account" numa multinacional ligada ao marketing,que divide uma casa em Milão com mais três amigos - Alessio, Mateo e Rossella, e vive com um ordenado de cerca de mil euros. Manter as finanças equilibradas é uma façanha, sendo precisa muita ginástica para que o escasso ordenado chegue até ao final do mês, sem ser obrigado a abdicar das saídas com os amigos, dos jantares de convívio, ou seja, sem ter de deixar de viver as experiências próprias da idade. Uma obra que fala sobre toda uma geração que é obrigada a viver aquém dos seus sonhos, mas que mantém essa capacidade...de sonhar.




O outro livro, esse merece um post só para ele!!



...depois de vir do ginásio porque... porque... gosto muito de ir ao ginásio e não comi quase nada nas férias!



1 comentário:

luis disse...

E o pessoal a trabalhar...