segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Não aos xumbos nas escolas!

 

Num intendo como num se perxebe o que a ministera da inducaxão dis-se. Eu axo k se perssebe muinto bem. Os xumbos nas escolas num ajudam os alunos. É os cotas a xagarem o juíso, a mandarem trabalhar nas ferias e nas ferias o pipol ker é curtir. Depois pró ano tem de andar cos mesmos cadernos e se forem muintos anos ficasse sem lugar para dezenhar e mandar bilhetes aos amigos. Eu axo que os alunos num devem xumbar nem k num vão à escola se tiverem feito a matricúla. Se não vão é pk num podem ir, dahhh!! Se num estudam também não devem xumbar pk se á liberdade e essas coisas é prá gente as uzar. Se não souber a matéria num faz mal. Paço de ano à mesma pk ou há igualdade ou num á. Decidamce pk assim os joves ficam confundidos. É k nós temos dreitos e num ir há escola e num estudar é um dreito. Bá lá ver, k interessa ler os luziadas? O man já morreu há bués, ainda pra mais escreve esquesito comó caraças XD. K minteressa saber os rios? Num dá pra surfar nem nada nos rios. K minteressa equaxões e raízes cuadradas? Nunca vi nenuma nem cuadrada nem redonda. Dahh! K interssa dar erros ortonográficos? perxebece muinto bem o k escrevo. E depois inda à os setores a xatear k se num estudo xumbo. Num há paxorra pra andar um ano a ouvir isto. Até penso k num era preciso prófs nem escolas. Davam os liveros k o pipol estudava em casa e no fim do ano avia uma grande festa pra celebrar passar pó outro ano. Tão sempre a dizer mal de tudo. Eu tou com a ministera. Xumbar num nos ajuda. Ministera! Ministera! Ministera ao puder!


Saúde e educação seriam dois sectores onde investir em vez de cortar. Remodelar. Melhorar. Mas assim? Que tal ver as razões do insucesso escolar? Que tal dignificar a profissão de quem ensina? Que tal incentivá-los em vez de os desmotivar com burocracias? Que tal dar emprego aos psicólogos no desemprego? Que tal pôr verdadeiramente assistentes sociais no terreno, principalmente nos locais mais problemáticos? Que tal incentivar o estudo acompanhado? Que tal tentar que, quando cumprem, pelo menos, o ensino obrigatório, saibam o mínimo dos mínimos? Que tal rever programas e conteúdos?  Que tal tentar melhorar o nível cultural do País? Muito trabalho?? Talvez sim, talvez não. Mas geralmente bons investimentos, seguros, não dão fruto a curto prazo, demoram mais um pouco, mas resultam. Para onde caminha Portugal? 

 

16 comentários:

L'Enfant Terrible disse...

O que eles querem é trabalhar para a estatistica. Confudem acesso a todos com facilitismo. Mas também o que se espera de um primeiro ministro que supostamente é engenheiro...no papel!

esseantonio disse...

Que esperar desta gente?
Que esperar de uma senhora ministra tão, mas tão vaidosa, que usa um pseudónimo em lugar do nome real?
Que esperar de um País onde, diz-se, o actual 1º ministro conseguiu fazer exames finais de licenciatura por fax?
Conclusão: A esta pseudo élite dirigente, interessa que, quanto mais burros os dirigidos, melhor!
Será bem mais fácil enganá-los...

*C*inderela disse...

Adorei o texto e a reflexão por detrás. Eles estão mais preocupados com as estatisticas, como disse o l'enfant, e como somos vistos lá fora do que com outra coisa. Eles querem lá saber se os alunos vão para o básico sem saber ler ou escrever! Eles querem é passar para melhorar as estatisticas.

Bjokas ****

Phyxsius disse...

Concordo contudo, menos com um pequeno pormenor. É essencial que cada escola tenha um psicólogo, por motivos vários. O problema é que, não raras vezes, a tendência é para se imiscuir no nosso trabalho, tentar que os meninos não sejam reprovados.

Recordo-me que a da escola onde estive ia a todas as reuniões do 9º ano (!), metendo o bedelho inclusive nas notas.

joao disse...

Uma forma diferente e original de escrever cara Nirvana! Percebe-se muito bem.:-)
A brincar com coisas sérias, Nirvana. Arrancaste-me umas gargalhadas. Viva a liberdade! Concordo com as letras pequenas. Caminhamos para um país de ignorantes com a mania que sabem tudo. É grave.
Um abraço

S. disse...

A educação é um dos sectores mais importantes de um país, é aí que se forma a nova geração, é aí que ensinamos as nossas crianças a serem adultos cada vez melhores. Mas infelizmente nem todos pensam como eu.

Beijinhos grandes querida

Libelinha☆ disse...

Olha que nem consegui ler tudo, lol!... Meteu-me bué de confusão essa escrita, lol!...

Beiijinhos ;P

Bloguótico disse...

Do sarcasmo à realidade!... Muito bom post!! Mais um!!!!

Deia disse...

Como professora tenho vergonha de tudo o que se passa no ensino em Portugal!

Neisseria Gonorrhoeae disse...

lol... é a segunda mensagem semelhante q leio hoje. É divertida mas coloca o dedo na ferida. O ensino em POrtugal anda nas rus da amargura.

A Saúde também. Nem sei o k anda pior.

Quanto ao q escreves a "miudinho". Opá, concordo ctg em tudo, mas são muitos "e que tal..." e isso dá trabalho demais. É mais fácil fechar escolas.

Rafeiro Perfumado disse...

Tou contigo! E nos empregos, quando os empregados não trabalharem devem na mesma ser promovidos, para não ficarem tristes! E se não pagarmos a conta da luz e da água não devem cortar estes serviços, para não ficarmos a cheirar mal e deprimidos! Para onde caminha? Eu perguntaria mais para onde mergulha...

Rainbow disse...

Adorei o texto, está mesmo muito bom! Se o nosso país continuar assim, é uma possibilidade que esta seja a escrita do futuro!

Cris disse...

Por estes lados a coisa anda pior e o que mais me choca é que nosso querido presidente está preocupando-se com assuntos que não diz respeito a nós!!!

by "A Invisível" disse...

Eu num percizo xumbare, purqe sei esquereber muinto beim.
Eu sou muinto boa na escerita!


* Adorei! :))

Beijinho enorme Amiga*

Miguel disse...

Grande post!

Isto são estatisticas e mais nada. Tudo hoje são estatisticas!

Só discordo numa coisa, no finalzinho nas letras pequeninas. O investimento em primeiro lugar tem de ser na Justiça.

A Justiça marca os países onde as coisas funcionam ou não. Ponham os olhos nisso: país onde a Justiça existe e funciona é um país onde tudo funciona.

É uma questão de bom senso. Funcionando a Justiça, tudo o resto é obrigado a funcionar ou as pessoas pagarão pelos seus erros!

Depois sim, vem o investimento na Educação. O resto vem tudo depois! E acredita que tudo funcionará, mesmo com os meios que existem actualmente!

Esta palhaçada a que Portugal chegou, e que assistimos quase dirariamente, só acontece porque a Justiça simplesmente não existe... Nem é uma questão de funcionar! Estamos muito pior que isso...

Miguel disse...

Só mais uma coisa...

Isto é um mal Europeu de agora, exactamente por causa das estatisticas e do dinheiro envolvido no negócio em que se tornou a Educação... Bolonha veio dar cabo do pouco ensino que ainda havia de jeito na Europa.

As pessoas pensam que isto veio melhorar, que reduziu os anos de ensino, retirando "palha" dos curriculos escolares mas é ao contrário.
Retirou-se parte do conteudo e ficou a "palha" nas licenciaturas, obrigando quem quer saber a fazer uma pós graduação, a pagar propinas que nada têm a ver com as das licenciaturas e a ficar mais 2 ou 3 anos na escola.
Muitos cursos, para saberes o mesmo, passaram de 5 anos para 6 (3+3).

Enfim...