quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Conversas Prozac - Independência


Férias são férias, é certo. Mas querer passar o dia inteiro à frente da televisão não me parece um programa muito saudável, principalmente tendo em conta a qualidade dos desenhos animados hoje em dia, em que a violência impera por todo o lado. É só lutas, guerras, monstros cada um mais bonito que o outro.

Mr. Prozac - Quem me dera ser independente!
Mãe - ?? (Isto porque há um limite de tempo para estar à frente de uma televisão). Independência? Isto está bonito, está!

19h - Mãe sentada no sofá a ler.
19.30h - Mãe continua sentada no sofá a ler.
20h - Mãe continua sentada no sofá a ler.
20.30h - Mãe continua sentada no sofá, a achar piada ao anda-para-cá-anda-para-lá dele.

21h - Mamã, hoje não jantamos?
Mãe- Hã?? Filhinho, tu não queres ser independente? Podes ir à cozinha e fazeres a comida que quiseres.
Mr. Prozac - Ohhhhhhhh, mas não é para isso, é só para a televisão.

Ah! Afinal era só independência televisiva! Estou mais descansada! :)

Acho que consegui poupar mil e uma palavras a tentar explicar-lhe o que é independência. Penso que muitas vezes um gesto pode ter muito mais efeito que palavras semi-ouvidas. Sim, porque tal como os adultos as crianças também ouvem e assimilam aquilo que querem assimilar, conforme lhes dá jeito ou não.

12 comentários:

L'Enfant Terrible disse...

Acho que ele está a meio caminho de se filiar no BE! Ah e tal direitos e tal mas só no que lhe convém! LOL!

Rita G. disse...

Hihi!! Acho que ele ficou a perceber que a independência traz muitas responsabilidades:) bj!

S. disse...

Olha que eu tive uma experiência assim quando era pequena, os meus pais sempre foram muito mais de me mostrar as coisas do que me explicar por palavras.

Quando tinha os meus 6 anos e a minha mãe me ajudava a fazer os trabalhos de casa (era ajudar não fazer por mim, que cá em casa sempre acharam que eu devia travar as minhas próprias lutas) desentendi-me com ela por uma razão qualquer, e como sempre fui muito opiniosa disse aos gritos “Quero sair de casa! Estou farta disto, já não quero viver aqui, qualquer dia fujo!”.

Dito isto fui para a sala ver a Bia a feiticeira, claro está que nunca mais me lembrei de querer fugir de casa, mas passado mais ou menos uma meia hora, a minha mãe apareceu à porta da sala com a minha mochila da escola, lá dentro tinha umas calças, uma blusa, uma sandes mista, um bomgo e 200 escudos, chamou-me e levou-me até à porta.

Abriu a porta e colocou a mala do lado de fora, olhou para mim e disse “Pronto, não queres sair de casa? Então tens ali as tuas coisas vai lá!” eu olhei para ela desesperada, com uma perna dentro e outra fora, não queria sair mas também não queria dar o braço a torcer. Finalmente agarrei na mala, pousei-a do lado de dentro e disse “Não! Deixa lá, eu não quero que fiques triste!”.

Nunca mais disse que queria fugir ou sair de casa, aprendi bem a minha lição.

Beijinhos grandes querida, pela tua história sei que és uma mãe fantástica.

Rainbow disse...

Uma boa lição para o menino! ;)

esseantonio disse...

Foi, por certo, uma boa lição para o Mr Prozac. Mas, concordemos, a sua reacção de que era só para a TV é sinónimo de uma inteligência brilhante. Parabéns, Nirvana.

Deia disse...

eheheh
Grande ideia essa de ficar no sofá! Aprendeu a lição, tenho a certeza!
bj

Neisseria Gonorrhoeae disse...

Bem metida. LOL

Gosto de ti como mãe (pelo menos).

Jinhos

Sonhadora disse...

Demais, foi uma boa lição!
O ser independente tem mais do que se lhe diga, não são só rosas! Lol!
Não foi preciso explicar, fizeste-lhe um desenho! Hehehe
Beijocas

by "A Invisível" disse...

Bom exemplo minha Amiga!
Às vezes com um bocado de sabedoria, e ficam a entender na perfeição, sem palavras, certas atitudes que querem tomar e as responsabilidades que delas advêm.

O meu sobrinho é um amor!

Beijinhos taralhoca!

Libelinha☆ disse...

ahahahah... Adorei!... Isso é que é uma lição, hehehe!...

Beijinhos ;P

Kika disse...

Achei um método fantástico :)

Miguel disse...

Mãe é isso mesmo: explicar tudo direitinho por poucas palavras...

;)

Os putos são demais!




(ainda sinto a falta do amarelo...)