quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Natal...

A árvore está feita há algum tempo, com as luzes a piscar, de vez em quando, quando me lembro...
Há enfeites espalhados pela casa... uns novos, outros que já enfeitaram outros Natais...
Há pedaços de papel de embrulho esquecidos aqui ou ali... gosto de fazer os meus embrulhos, além de muitas vezes não haver paciência para esperar que embrulhem.
Há... Não, não há... 

Por mais que se fale de Natal, por mais que veja por todo o lado sinais que o Natal está aí à porta, para mim, o Natal só começa no momento em que abro a porta de casa, lá na aldeia. Não consigo imaginar o Natal em outro local. Como diria o outro "haver Natal sem ser na aldeia, há, mas não é a mesma coisa".  Por mais que me esforce, aqui não cheira a Natal! Sim, porque o Natal tem cheiro. Tem cheiro, forma, cor e espírito. O cheiro do frio que me põe o nariz vermelho, o cheiro dos montes que viaja ao sabor do vento que me gela as mãos,  o cheiro da madeira a arder na lareira, o cheiro a canela, o cheiro da minha casa. As pessoas, a minha família, que dão forma ao Natal, a razão porque ele existe. Os abraços, a conversa que não se esgota, as recordações... a nostalgia, a saudade dos que já não estão cá traduzida nos olhares tristes, quantas vezes acompanhados de um sorriso quando olhamos para o local onde se costumavam sentar. Nostalgia, sim, e não há problema nenhum, porque é bom recordar, mesmo quando a saudade dói.  É assim que as pessoas se mantêm vivas em nós. Ninguém tem saudade das coisas más, pois não? E as crianças!! Consegue-se sentir a alegria deles, correndo de um lado para o outro, subtraindo um ou outro doce, e, claro, ansiando pelas prendas. Quando era pequena, vivia esta época com a expectativa das prendas. Não só porque as prendas rareavam naquela altura como porque era uma espécie de certificação do meu comportamento!! Mas agora, olhando para trás, sei que não foram as prendas que mais me marcaram, mas sim aquilo que ainda hoje faz o meu coração sorrir nesta altura: o conforto e o aconchego. Se nos reunimos noutras alturas? Claro que sim. Se há abraços, conversas, risos e prendas noutras alturas? Claro que sim, mas, essas outras alturas não têm cheiro a Natal. 

Ouço as pessoas falar sobre a comercialização do Natal, a perda de valores e tradições. Não a nego, está aí à vista de todos. Mas, se calhar, cabe a cada um de nós manter essas tradições, manter o espírito de Natal. Esta época traz-me das recordações mais ternas da minha infância.  Quero que as crianças que agora correm pela casa, contagiando todos com a sua alegria, tenham algo mais para recordar que as prendas, quero que tenham também doces recordações, quero que, mais tarde recordem as pessoas, quero que recordem o cheiro de Natal!

:) BOM NATAL :)

20 comentários:

Mariana marciana disse...

Como eu concordo contigo. Na casa da minha avó era o reboliço!!! Eramos 9 netos a partir a casa toda, camas feitas por todo o lado, eram risos e risinhos. Nunca vou conseguir olhar para o Natal como uma altura como outra qualquer...
Com os anos foram crescendo os vazios nas cadeiras, não podemos evitar o inevitável, dá-me uma pontada de pensar nisso mas enfim... resta-me a lembrança daquela atmosfera mágica.
Beijinho enorme

Libelinha☆ disse...

A tudo isso chama-se a magia do Natal!...
Desejo-te um Natal Mágico =)

Beijinhos ;P

TT disse...

Adorei...

Se há uma coisa que não é "non-sense" é o Natal..e tens toda a razão, cheira-se, sente-se, ouve-se, vê-se...brilhante.

Boas Festas
*

Scarlet disse...

Sei de cor aquilo de que falas, o meu Natal tinha o cheiro e os sons do Alentejo. Mas a verdade é que cresci e hoje não tenho 'terra'. Sou daqui, não tenho onde voltar a não ser no coração :) acho que todos os natais volto a ser pequenina, a sentir-me segura, amada, incrivelmente feliz. Acho que não me lembro de nenhum presente em particular, só mais crescida, daqueles que ganhei arduamente, como prémio do meu esforço por ter sido boa aluna, etc. Mas lembro-me deste calor que me invade por dentro, feito de cheiros, sons, sabores e afectos. E também sinto a saudade, mas sem mágoa, é uma saudade doce, apaziguadora, que acalma o coração. E acho que esse é o verdadeiro desafio do Natal, a passagem de testemunho dos afectos... Um feliz natal para todos ~:)

S. disse...

Como eu concordo contigo, está em cada um de nós.

Beijinhos grandes

CybeRider disse...

Que lindo pensamento sobre o Natal, algumas das coisas que falas já quase tinha esquecido. Há as pessoas, a família, os cheiros, de facto. A logística exagerada não faz o Natal, é mesmo a capacidade de nos reunirmos em paz, e as crianças, sim que já fomos, também fazem o Natal, talvez nesta quadra haja ainda um pouco dessas crianças antigas em nós.

Feliz Natal, Nirvana. Beijinho.

Sonhadora disse...

olá!
Ao ler o teu post revive-me nele. O mais importante era estarmos juntos e não as prendas em si! O Natal era sempre passado no campo e tal como tu, acho que falta o cheiro a Natal! Era tudo feito por nós, adorava fazer o presépio e a árvore, até à Missa do Galo nós iamos! Enfim ... tudo se perde, tudo passa, mas as recordações, essas ficam para sempre!
Um Feliz Natal com saúde e alegria!
Beijoca grande

JFDourado disse...

Bom Natal!!!
Muita saúde, alegria e prosperidade para o novo ano que aí vem.

Beijinhos

Trintão disse...

Feliz Natal Nirvana!

Bjs ;)

L'Enfant Terrible disse...

Boas festas!

João Lopes disse...

Bom Natal Nirvana... =o)
Para ti e para os teus...

Um beijinho

Rita G. disse...

É verdade, o Natal é uma época especial e não é pelas prendas, essas podemos oferecê-las todo o ano.O facto da família estar junta, da boa disposição à volta da mesa torna essa época única. Espero que o teu Natal tenha sido mágico:) bj!!

Canhota! disse...

Que saudades que eu tenho do Natal de antigamente!!!
hoje bem que esforço para que o mesmo seja não igual mas idêntico..mas que é difícil é...

Mas como tu dizes e muito bem o Natal está em cada um de nós e somo nós que temos que manter a Paz e o Amor que é ainda algo gratuito que podemos dar quando queremos a quem queremos sem ninguem nos questionar.

Como o Natal já passou, e espero que o mesmo te tenha sido FELIZ e com Paz desejo-te um excelente ANO 2011 que este te traga tudo aquilo que desejares!

E que continues a presentear-nos com escrita tão maravilhosa como é habitual!

jinhos :)

ah desculpa mas como tenho andado unm pouco afastada...agradeço a tua mensagem!

Susana disse...

É bom ter-te de volta minha querida!
Que 2011 seja cheio de Amor e sucessos
Um beijão grande e um xiiii apertado

Soraia Silva disse...

Há uns bons anos atras, numa vida que nao escolhi, numa vida em que nao voltaria a viver, tinha um natal diferente do que tenho agora...
Vi-a os adultos a prepararem presepios grandes, as arvores enfeitadas, o chao lavado e encerado, as toalhas de mesa próprias para aquela época, os vasos cheios de arranjos, o stress em querer ter tudo pronto a horas, os doces feitos naqueles tachos grandes, o cheiro deles que subiam os pisos da casa, as preparaçoes dos teatros para fazer na noite da natal... tudo isso me fazia cheirar a natal... quase um mes antes do natal e já me cheirava a natal naquela casa apenas com pequenos preparativos... as prendas que se davam naquela noite, os sacos cheios de doces para distribuir, os papeis espalhados pelo chao (eram imensos)... Só tenho saudades disso... agora por mais que efeite, por mais que cozinhe, por mais prendas (e melhores) que se tenha, nada me faz sentir o natal, nem mesmo a noite) :(

Esboços disse...

O seu texto reavivou-me muitas memórias. Como tenho saudades desse conforto e aconchego :) Actualmente, o Natal é, para mim uma tentativa falhada de reviver o passado. Acho que o mais importante é a união da família. A problemática nasce quando não se tem uma funcional ou simplesmente não se tem nenhuma. Ando sempre de roda das minhas memórias de infância, e sinto que também são elas o motor da minha vida.

Um bom ano ;)

uminuto disse...

entendo e partilho cada uma das tuas palavras...por isso tento que em cada ano o MEU NATAL não se apague, porque a não ser assim será apenas mais um dia de festa
um beijo e bom ano

Tatiana disse...

Entrei em seu blog por acaso.
Mas que acaso bem generoso...
Esse texto me fez mergulhar nos Natais da minha infância.
Parabéns pelo texto, parabéns pela sensibilidade, por conseguir traduzir em palavras um sentimento que é guardado por todos nós...
Te convido a conhecer o meu blog:
palavrasquegritam.blogspot.com

Abraço!!

Rita G. disse...

Minha querida, o que é feito de ti?? Tenho saudades dos teus posts...espero que esteja tudo bem contigo.bj!

Nirvana disse...

Com muito, muito atraso, OBRIGADA a todos pelos votos de bom Natal e pelas recordações e sentimentos que partilharam comigo! Bem hajam!
Estava com saudades vossas!
Um abraço, bem sentido, para todos :)