segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Ciclo da vida...

O ciclo da vida é incontornável: nascemos, vivemos, morremos. E a vida continua no planeta Terra, pelo menos enquanto não o conseguirmos destruir completamente. De uma ponta à outra deste ciclo, vamos acumulando experiências, vamos dando, recebendo, rindo, chorando, vivenciando momentos mais ou menos bons, enfim, aquilo a que chamamos viver. Como companhia ao longo deste tempo todo, temos aquela pessoa que acorda e adormece connosco todos os dias, que nasce e morre connosco, mesmo quando morremos só um pouco, mesmo quando renascemos - nós próprios. E temos as outras pessoas que fazem parte do nosso mundo, cada uma à sua maneira. No entanto, e apesar de conhecermos sobejamente o ciclo da vida, esquecemo-nos muitas vezes que os anos passam, as pessoas envelhecem e a lei normal da vida é um dia deixarem-nos. E, por vezes, perdemos pessoas que foram importantes para nós, pessoas que se tornaram parte de nós, pessoas que nos transmitiram tantas coisas boas que só a sua recordação nos faz sorrir, mesmo quando o coração está carregado de saudade e os olhos de lágrimas. Na verdade,  penso que nunca estamos preparados para perder quem amamos. Haverá alguma forma de o estar? Penso que, se existe, chama-se AMAR. Amar enquanto é tempo, amar enquanto há vida. Depois... Depois apenas resta a saudade,  sentimento doloroso mas  que encontra conforto no amor que se teve e se deu, ou o arrependimento pelo que não dissemos ou não fizemos, pelo que dissemos ou fizemos. Prefiro a saudade. Como canta Mariza nesta música linda

As coisas vulgares que há na vida
Não deixam saudades

Só as lembranças que doem
Ou fazem sorrir 


Há gente que fica na história
da história da gente

e outras de quem nem o nome
lembramos ouvir 


São emoções que dão vida
à saudade que trago
Aquelas que tive contigo
e acabei por perder 


Há dias que marcam a alma
e a vida da gente

e aquele em que tu me deixaste
não posso esquecer 

.......................................................

11 comentários:

Kika disse...

Lindo, lindo, lindo. Adorei, Nirvana. Parabéns!

Mariana marciana disse...

Embora seja um texto lindo e cheio de significado para quem alguma vez perdeu alguém, espero que isto tenha sido só uma reflexão sem motivo óbvio... que estejas bem e em paz.
tinha saudadunhas tuas.
Beijo enorme.

Checa disse...

Amei, querida Nirvana!
"Amar enquanto é tempo, amar enquanto há vida."

Beijinhos!

S. disse...

É verdade, não existe outra forma de dar...

Beijinhos grandes

Rita G. disse...

Há que aproveitar a vida e estar com as pessoas que amamos o maior tempo possível, para que a saudade não se torne ainda mais dolorosa quando as perdemos...bj!

Anónimo disse...

Lindo demais. Confesso que chorei. De resto, faz hoje 10 meses que perdi a minha mãe querida. Tenho tantas saudades dela.
Bjs

Malika Moura disse...

A vida tem-me ensinado a saborear ao máximo momentos como: uma conversa gostosa,um jantar entre amigos, um sorisso sincero, o abraço dos amigos, a minha família, enfim, aquelas coisas do dia a dia que são tão simples e por isso mesmo mágicas. É isso que fica,momentos inesquecíveis que se fazem com a palavra AMAR.

PB disse...

Mais um post dentro da bitola a que nos habituaste! ;)
Saudações vermelhas

Canhota! disse...

Parabéns!
Gostei muito!

O importante mesmo é dizermos que AMAMOS muito e não só GOSTAMOS muito e foi essa palavra AMAR que eu hoje sei que deveria ter dito a pessoa que tanto marcou na minha vida que foi a minha avó! Mas sei que um dia lhe irei dizer! :)

Amar é o que devemos fazer enquanto passamos por aqui!

jinhos:)

luz efemera disse...

Muito interessantes os textos. Revelam uma alma com conteúdo.
Parabéns!

uminuto disse...

a perda...deixa sempre um vazio enorme, como se uma parte de nós tivesse sido rasgada e nenhuma operação plástica a pudesse substituir.
espero que estas palavras sejam uma mera reflexão sobre o assunto, se assim não for que a tua perda tenha um cheiro de saudade suportável
um beijo